A verdadeira Amazônia

Quando o tema em questão é a Amazônia sempre se levantam primeiro os estereótipos presentes no imaginário geral dos brasileiros, cuja mídia nacional é a grande responsável pela imagem que temos dessa região do país, imagem equivocada que acaba sendo legitimada por nós mesmos e reflete a visão internacional que é diariamente reforçada pelo desconhecimento do que é realmente a Amazônia brasileira.

Temos uma série de estereótipos e imagens que foram fixadas pela mídia na construção do que viria a ser a Amazônia, a floresta, os povos indígenas nativos e todos os outros povos envolvidos na formação da região. E por tudo isso a Amazônia terminou sendo para o brasileiro o que o Brasil é para o mundo, uma floresta subdesenvolvida.

Em seguida, além da mídia nacional, a indústria cinematográfica veio reforçar ainda mais esse estereótipo, com filmes que apesar de serem dirigidos muitas vezes por brasileiros, mostram uma Amazônia completamente acorde com o estereótipo de floresta selvagem, atendendo a essa visão internacional.

A responsabilidade da mídia na formação dos estereótipos

Na verdade não é correto apontar a mídia como a única responsável por tratar a Amazônia como um lugar onde a pessoa terá apenas contato com a natureza virgem, no entanto, é sempre interessante ressaltar que a mídia, falando de um modo geral, fomenta a ideia da Amazônia exótica, que acaba atraindo muito a curiosidade dos turistas, principalmente dos estrangeiros.

Por isso, convidamos você, a verificar o artigo de hoje, e descobrir como a Amazônia é linda e muito divertida a todos seus visitantes!

O crescimento do turismo na Amazônia

O governo brasileiro e as secretarias de turismo responsáveis pela divulgação das possibilidades de turismo na região, buscam estimular principalmente o fluxo de pessoas entre as capitais brasileiras e a Amazônia, ainda como parte das estratégias de integração que começaram na década de 70. Um processo que começou com um acordo firmado com um consórcio formado por arquitetos e urbanistas que se responsabilizaram pela elaboração do primeiro Plano de Turismo da Amazônia empreendido pela Embratur. O projeto de apoio ao turismo nacional e integração na Amazônia tem o objetivo de cooperar técnico-financeiramente para estabelecer as condições necessárias para propiciar tanto a elaboração como a execução de um plano de turismo para a região. Assim se constitui uma comissão para coordenar e acompanhar o plano de turismo disponibilizando os recursos financeiros necessários através da abertura de várias linhas de financiamento nacionais e internacionais para a criação de empresas e obras públicas de turismo, diversão e entretenimento.

2 liegeneves-travelingtheworld-golfinho-manaus-amazonia-amazon

A Amazônia como um produto turístico único no mundo

Lógico que o apoio ao exotismo da região foi idealizado para o plano de turismo na Amazônia, inclusive como sendo um produto turístico único no mundo inteiro. Objetivando o mercado europeu e norte-americano como ponto de partida, a maior floresta tropical brasileira se tornou um produto tipo exportação e o foco na integração acabou se tornando um segundo plano, já que o brasileiro demonstrou muito menos intenção e possibilidades reais de recorrer a região como turista. Nesse momento a Amazônia foi posicionada entre destinos como o Pacífico, a África e a Ásia em critérios de exotismo e beleza natural.

Os custos do turismo na Amazônia

Depois dos investimentos na rede hoteleira de Manaus, a cidade ficou posicionada como um dos lugares mais caros para viajar em comparação com outros importantes destinos brasileiros. Apesar disso, é garantido que suas férias serão inesquecíveis com as mais belas paisagens.

Uma das grandes razões que tornam a região custosa, é que parte dos alimentos e outras necessidades, chegam na Amazônia através de barcos ou aviões, elevando o preço final.

Reconstruindo a imagem da Amazônia

É muito importante que haja um discurso real sobre a Amazônia e é maravilhoso saber que os índios e outros grupos nativos já estão se movimentando nesse sentido de criar e legitimar um verdadeiro discurso sobre a Amazônia principalmente para os brasileiros que são os únicos capazes de desmistificar a atual imagem da Amazônia pelo mundo afora. Reconstruir a imagem dessa região é possível a partir do momento em que se conte sua verdadeira história, através de um discurso menos exótico e místico e esse é um esforço que provavelmente partirá das academias e universidades.Obviamente será um processo lento de desmistificação e ruptura com o preconceito instalado na sociedade como um todo, mas não impossível e já começou. O grande desafio é convencer ao próprio brasileiro que se disponha a conhecer a verdadeira história da Amazônia, sua beleza e encanto que superam em muito os estereótipos pré estabelecidos.

Liege Neves
Deixe seu comentário!