Conhecendo o Deserto do Saara

Considerado um dos berços da civilização humana, o Deserto do Saara é o segundo maior deserto do planeta e, sem dúvidas, o mais visitado por turistas que buscam se aventurar pela imensidão arenosa e região que já registrou as mais altas temperaturas da história. Ao olhar para o horizonte, é possível enxergar imensas dunas de areia que parecem nunca acabar, entretanto, o Deserto do Saara nem sempre foi uma região desértica: há muitos séculos era uma área repleta de vida animal e abundante em vegetação.

Quase não tem chuva durante o ano

O Deserto do Saara tem um clima característico por conta de sua localização e a baixa incidência de chuvas durante o ano é um fator que chama a atenção. Podemos dividir o Saara em 3 partes de acordo com a sua variação climática. Nas zonas hiperáridas chove menos do que 100 milímetros, nas áridas menos do que 250 milímetros e nas semiáridas chove de 250 a, no máximo, 500 milímetros por ano.

A mudança de temperatura é drástica

Com temperaturas que atingem facilmente de 40°C a 50°C durante o dia, o Deserto do Saara é considerado um dos lugares mais quentes do nosso planeta. Entretanto, durante a noite as temperaturas caem drasticamente, podendo chegar de -5°C a -10°C.

A explicação para o fenômeno é simples: o clima extremamente seco por conta da ausência das chuvas e da umidade natural em vegetações e no solo faz com que o ar se aqueça com facilidade. E durante a noite, a situação se inverte: a ausência de nuvens, umidade no solo e vegetação fazem com que não aconteça a manutenção do calor e a temperatura cai completamente.

Animais e vegetação

A maior parte dos animais que vivem no Deserto do Saara é de roedores, répteis e insetos. Eles são capazes de se esconder dentro da areia com o intuito de se proteger do sol ou de predadores, podendo ficar até 20 metros de profundidade sem que a sua respiração seja afetada. Os escorpiões e outros insetos possuem uma forte carapaça que os protege do calor externo. Já os dromedários, característicos da região, são capazes de conservar a umidade interna por muito mais tempo do que o normal.

Quanto à vegetação, as plantas que vivem na região do Saara possuem resistência ao sal e à ausência de água. Elas também são capazes de conservar a sua umidade interna, armazenando água em seu caule, raiz ou folhas. Muitas possuem raízes muito longas para poder alcançar o lençol freático.

Grandes contribuições com pesquisas científicas

Fósseis datados com mais de 500 milhões de anos já foram encontrados em escavações arqueológicas realizadas no Deserto do Saara, além disso, as altas temperaturas fazem com que alguns ossos que ficam sobre a superfície passem por um processo de decomposição e formem minerais (sal, petróleo, entre outros). Constantemente, novas escavações arqueológicas são organizadas no Saara para que possam ser feitas novas descobertas científicas a respeito da origem da humanidade.

Principais destinos turísticos no Egito

Se você tem vontade de conhecer o Saara e quer fazer um passeio turístico pela região, não pode deixar de visitar outros destinos incríveis que o Egito tem a oferecer, tais como:

  • As Pirâmides de Gizé
  • Rio Nilo
  • Mar Vermelho
  • Templo de Karnak
  • Dahab
  • Cidadela do Cairo
  • Mesquita de Al-Azhar
  • Vale dos Reis
  • O Deserto Branco
  • Velho Cairo
  • Templo de Luxor
  • A Esfinge de Guizé

Esses pontos turísticos são mundialmente famosos por conta de sua grande carga cultural, culinária, belezas naturais, costumes locais e belas paisagens.

Você conhece mais alguma curiosidade interessante sobre o Deserto do Saara? Sabe de mais pontos turísticos conhecidos para se visitar no Egito? Então deixe o seu comentário contando pra gente!

 

Comentários

Deixe um Comentário