Taj Mahal: história e curiosidades desse palácio

O Brasil e a Índia podem estar distantes geograficamente (14.774 km, para ser exato), mas não é de hoje que os brasileiros se interessam pelo país asiático. Prova dessa curiosidade é a história do Taj Mahal. Quem não se lembra dos versos “Foi a mais linda/ História de amor/ Que me contaram/ E agora eu vou contar”, da música de Jorge Ben Jor?

Neste texto, você vai descobrir tudo sobre esse grande monumento e como ele marcou a paixão de um importante casal indiano. Senta que lá vem história!

Qual é a história por trás da construção do Taj Mahal?

Não há como falar sobre a história do Taj Mahal sem passar pela biografia do príncipe Khurram, que ficou mais conhecido como Shah Jahan (inclusive na canção de Jorge Ben Jor), nome persa que foi adotado por ele ao se tornar rei, em 1627, tendo como significado “Rei do Mundo”.

Considerado o quinto imperador mogol, Shah Jahan assumiu o poder após Babur, Humayun, Akbar e Jahangir. Inicialmente, os planos do governante era expandir o império, contudo ele ficou conhecido mesmo pela construção do famoso mausoléu.

Na verdade, o monarca foi um dos mais poderosos homens do Império Mogol, que dominou a Índia por mais de 300 anos. Mas quando, então, ele decidiu erguer o que hoje é uma das principais construções já vistas pela humanidade?

Bom, antes de tudo, é importante lembrar que o governo de Khurram foi, sobretudo, muito próspero, o que permitiria mais tarde a execução dos jardins do complexo de prédios que formam o Taj Mahal. Mas como um rei não vive apenas da política, a vida pessoal de Shah Jahan foi bastante agitada.

O imperador casou várias vezes até conhecer sua terceira esposa, em 1612. De origem persa, Aryumand Banu Begam foi a mulher mais amada de Shah, tanto que ele a batizou de Mumtaz Mahal, que significa “a eleita do palácio”. Reza a lenda que o então príncipe tinha apenas 14 anos de idade quando encontrou Aryumand pela primeira vez. Encantado, o monarca logo quis demonstrar a sua paixão pela menina quando a presenteou com um diamante de 10 mil rupias. E assim começou a linda história de amor…

Uma linda história de amor…

Shah e Mumtaz tiveram um casamento sólido e duradouro, porém, após cerca de 20 anos de matrimônio, o rei perdeu sua amada. Aponta-se que a causa da morte de Mumtaz Mahal está ligada ao nascimento do seu 14º filho. Foi aí que uma história triste se transformou em um precioso palácio.

Para provar o seu amor, Shah Jaham ordenou a construção de um grande mausoléu para homenagear sua apaixonante companheira. Por mais de uma década (de 1631 a 1643), milhares de trabalhadores ergueram as paredes do palácio, que se chamaria Taj Mahal, que quer dizer algo como “palácio da coroa” ou “a coroa de Mumtaz”. Conta-se que o monarca passava os dias olhando o Taj Mahal e recordando os momentos felizes ao lado de Mumtaz.

Morte do rei

Porém, o rei não teve muito tempo para contemplar a grande obra que construiu para a esposa falecida. Em 1666, cinco anos após a construção do monumento, Shah adoeceu e seu corpo finalmente descansou em paz ao lado da sua querida mulher. Aurangzeb, filho de Shah, assumiu o trono após a morte do pai, mas os historiadores apontam que os altos custos do Taj Mahal acabaram falindo e levando ao fim o Império Mogol na Índia.

Atualmente

A história do Taj Mahal encanta milhões de turistas todos os anos na Índia. Desde 2007, o famoso edifício foi eleito uma das sete maravilhas do mundo moderno, ao lado do Cristo Redentor, por exemplo. Apesar de o monumento quase ter ruído no século 19, durante a colonização do Império Britânico — fala-se que o exército inglês arrancou inúmeras pedras preciosas do mausoléu —, esse patrimônio conseguiu resistir ao tempo.

Não fosse a morte de Shah, há registros que apontam que o monarca tinha vontade de construir um Taj Mahal negro ao lado do mausoléu dedicado à sua terceira esposa. Quer saber mais sobre os mitos e as curiosidades acerca do palácio? Avance para o próximo tópico!

Quais são os mitos e as curiosidades mais interessantes?

Bom, você deve imaginar que a história dessa maravilha também reúne mitos e curiosidades, não é? A primeira delas é que, além de querer construir seu próprio mausoléu todo em mármore negro, ao lado do Taj Mahal, conta-se que o rei gostaria que eles fossem ligados por meio de uma ponte de ouro.

Outro detalhe que se conta é que a construção nunca sequer foi projetada, não sabendo de fato se essa história é realmente verdadeira. Contudo, se faltou planejamento para erguer o palácio, não faltaram trabalhadores! Foram precisos mais de 20 mil homens para construir o palácio e mais de mil elefantes foram utilizados durante os seus 22 anos de execução.

Ah, você sabia que, dependendo da intensidade da luz do sol ou da iluminação da lua à noite, o Taj Mahal apresenta cores diferentes e seus quatro lados são perfeitamente idênticos? Pela manhã, as paredes têm uma cor rosada, o que logo muda para um branco à tarde e, com o cair da noite, transforma-se em um lindo dourado com a luz da lua. Já pensou?

Ainda falando sobre a arquitetura do túmulo, uma das partes mais impressionantes é a cúpula branca do mausoléu, que comumente é chamada como “cúpula de cebola”, por seu formato circular com cerca de 35 metros de altura. Além do mausoléu, o projeto inclui uma mesquita e algumas casas de hóspedes, o que compõem os 17 hectares de terra do complexo. Ao todo, a altura do Taj Mahal chega a 171 metros!

Considerado patrimônio da humanidade, atualmente, a preservação do Taj Mahal é responsabilidade de historiadores, restauradores e arquitetos. Fora os profissionais, a organização do monumento elaborou uma série de regras para a preservação do prédio. Entre elas, há uma que proíbe a entrada com comida e bebidas. Você vai aprender mais detalhes sobre o funcionamento do palácio abaixo. Leia!

Como chegar até o Taj Mahal mais rapidamente?

Percebeu como é fácil se encantar pelas belezas do Taj Mahal, não é? Mas saiba que você deve ter algumas cartas na manga para chegar até ele. Primeiramente, o castelo está na cidade de Agra, que fica situada a cerca de 210 km de Nova Déli. Às margens do rio Yamuna, a cidade está localizada no estado de Uttar Pradesh e foi fundada em 1566 pelo imperador Akbar, avô de Shah Jahan.

Além desse monumento, Agra tem um forte famoso (você ganha desconto para entrar nele se guardar o ingresso do Taj Mahal) que também é considerado um patrimônio mundial da humanidade. Para conhecer o local mais rapidamente, você pode pegar um trem desde Nova Déli para fazer um bate e volta ou até mesmo descansar algumas noites na cidade!

Estando em Agra

Muitos turistas vão a Agra apenas para conhecer o Taj Mahal, mas há outras atrações na região. Além do palácio, nós já falamos do Forte Vermelho (ou Lal Qila), que fica a 2,5 km do castelo de Shah e foi habitado por vários imperadores indianos. Para tornar a sua visita mais cômoda, você pode preferir dormir uma noite na cidade. A dica é reservar com antecedência algum quarto, porque os preços podem subir bastante se você negociar com algum vendedor na hora.

Ainda que você fique em Agra, será preciso pegar um ciclo-riquixá (o transporte mais popular por lá) ou ir a pé por uma estrada de 1 km para chegar ao Taj Mahal. Hoje em dia, o trânsito de veículos está fechado na região do monumento. Quando chegar ao Taj Mahal, enfrente menos fila e escolha o portão leste, cujo acesso é menos procurado por turistas.

Valores e horários

Evite, também, o portão oeste, onde vários ambulantes se reúnem para vender serviços e lembrancinhas aos visitantes. Normalmente, o ingresso para estrangeiros está cotado em 1 mil rúpias (o que, convertendo, dá cerca de R$ 50). A entrada inclui uma garrafa d’água e uma pantufa, que ajuda a preservar o piso do edifício.

É importante, ainda, que você conheça o horário de funcionamento da atração. Visite-a de sábado até quinta-feira, das 6 h às 19h30, uma vez que às sextas a entrada ao túmulo é permitida apenas à tarde para os muçulmanos.

Outra detalhe é que o portão sul abre às 8 h e não às 6 h, como no caso das entradas oeste e leste. Ah, com essas informações, pode ter certeza de que sua viagem será excepcional, meu caro!

Por que o palácio é parada obrigatória?

Não é à toa que a Índia é um dos destinos preferidos para quem fotografa e gosta de conhecer novos hábitos culturais. O local deve ser escolhido para a sua próxima viagem por vários motivos, desde a religião e o culto a animais sagrados, passando pela gastronomia com temperos exóticos até as divisões da sociedade em castas. Essa nação é um lugar surpreendente e muito interessante de desbravar!

Como uma espécie de síntese de toda essa diversidade cultural, o Taj Mahal mostra, na sua construção simétrica e devidamente enquadrada dentro de um jardim, algumas das maiores riquezas do mundo em um só lugar. Temos ali o mármore indiano branco, o lápis-lazúli do Afeganistão, a jade e os cristais da China, as safiras do Ceilão, a turquesa do Tibete, a ametista da Pérsia, o âmbar do Oceano Índico e as ágatas do Iémen.

Tantas pedras raras simbolizam a preciosa história de amor que você acabou de descobrir neste texto. Com muros cobertos por inscrições tiradas do Alcorão e com seus jardins maravilhosos que simbolizam o paraíso para os islâmicos, o monumento é parada obrigatória de mais de 3 milhões de turistas por ano quando o destino em questão é a Índia!

E aí, gostou de conhecer mais da história do Taj Mahal? Então, compartilhe este conteúdo com seus amigos nas redes sociais! 😉

Comentários

Deixe um Comentário