Como viajar com Animais de Assistência Emocional?

Animais são muito importantes em nossas vidas: eles nos fazem companhia, nos divertem e nos confortam em momentos difíceis – especialmente os animais de assistência emocional, que cuidam de pacientes com diversas condições.

Mas como viajar com animais de assistência emocional? É possível levar seu maior companheiro para qualquer lugar?

Saiba tudo sobre isso no texto de hoje!

Condições

Na maioria das companhias aéreas, os únicos animais de assistência emocional aceitos a bordo são cães. Esse serviço está disponível em diversas empresas, internacionais e nacionais, em todos os voos, mas é preciso consultar com antecedências quais são as regras e orientações de cada uma.

Não há uma restrição de raça do cão, mas ele deve ter passado pelo treinamento dos animais de assistência. Além disso, algumas companhias aéreas têm um limite de peso para os animais que viajam na cabine. Por isso, nunca deixe de consultar as regras antes do voo e tirar suas dúvidas!

Documentos necessários

Ainda que cada companhia aérea tenha diferentes regras e, portanto, documentos necessários diferentes, alguns documentos são normalmente pedidos nesses casos. Por exemplo:

  • Certificado de vacinação antirrábica para todos os animais com mais de 3 meses. A vacina deve ter sido feita a mais de 30 dias e a menos de 1 ano no dia do embarque;
  • Em viagens internacionais, é necessário fazer o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI). Você pode consultar a validade exigida do documento junto ao Ministério da Agricultura, já que ela varia de acordo com o país;
  • Atestado de saúde emitido pelo veterinário, comprovando a saúde do animal de assistência e o atendimento às medidas sanitárias necessárias. Esse atestado vale por 10 dias após sua emissão;
  • Formulário MEDIF preenchido. Esse formulário, que está disponível para download no site das companhias aéreas, é exigido de passageiros com necessidades especiais, e é onde você vai explicar porque precisa do acompanhamento de um animal de assistência emocional;
  • Cartão de identificação do ESAN (Emotion Support Animal) do seu bichinho, caso ele tenha;
  • Plaqueta de identificação para o cão usar no voo, com nome do cliente e do cão, CNPJ ou CPF do instrutor, nome do centro de treinamento, foto do cão e do dono e outras informações que a companhia aérea possa achar pertinentes.

Note que, mesmo que a documentação varie de uma companhia para a outra, nenhuma empresa brasileira costuma cobrar o transporte de animais de assistência emocional

Procedimentos

O primeiro passo para viajar com animais de assistência emocional é informar, no momento da reserva, que esse serviço será necessário. Algumas companhias aéreas pedem que você submeta informações gerais sobre o animal, como peso, raça e idade.

Depois disso, é necessário preencher o MEDIF e pedir os atestados exigidos pela companhia, se for o caso, ao seu médico. Nesses atestados, o médico deve explicar qual é sua doença e porque você precisa de um animal de assistência emocional.

Então, é o momento de separar os documentos do cão. Isso pode ser feito mais próximo à data de embarque, já que há uma validade máxima para os atestados. No dia do embarque, tenha todos esses documentos a mão para facilitar o processo.

Na hora do voo

Na hora da viagem, os passageiros viajando com animais costumam ser colocados nas últimas fileiras da aeronave, na janela. O cão é transportado no chão da cabine, perto do dono, e deve estar com coleira e, em alguns casos, com focinheira.

O animal não pode obstruir, total ou parcialmente, o corredor. É possível levar dois cães de assistência emocional, desde que eles sejam pequenos o suficiente para não ocupar o espaço de outros passageiros.

Mesmo que existsm algumas burocracias, agora você já sabe como viajar com animais de assistência emocional e não precisa deixar seu melhor amigo de lado em sua próxima viagem.

Então, que tal começar a planejá-la? Passe no site da MaxMilhas e encontre passagens com ótimos descontos!

Comentários

Deixe um Comentário