Existe mesmo um melhor horário para comprar passagens aéreas?

Você já deve ter ouvido recomendações sobre o melhor horário para comprar passagens aéreas internacionais ou domésticas, não é mesmo? Sim, sabemos que muita gente faz plantão de madrugada, esperando pelas melhores ofertas.

Mas até que ponto isso é verdade ou lenda? Vale a pena perder uma noite de sono à espera daquela oferta incrível?

Foi pra esclarecer essas e outras dúvidas que escrevemos este artigo. A gente adora viajar e falar sobre o assunto. Então, convidamos você para um bate-papo sobre o nosso tópico favorito e também pra conhecer a Isadora Milhas. Ela é uma figuraça e tem muito o que contar.

Além de esclarecer essa história de melhor horário para comprar passagens aéreas, queremos falar sobre bagagens e as novas regras, aplicativos úteis etc. E o melhor: como tornar sua viagem mais econômica. Já pensou que você pode estar desperdiçando um verdadeiro tesouro em milhagens?

Então, fique à vontade e prepare-se pra decolagem! Vamos começar esclarecendo a questão inicial do nosso post.

1. Melhor horário para comprar passagens aéreas: mito ou verdade?

Antes de tudo, conheça a Isadora. Ah, pode chamar de Isa. Ela adora viajar e está sempre de olho nos programas de milhagem das aéreas. Quando ela mesma não tem milhas suficientes, compra passagens mais baratas com milhas dos outros (mais adiante, vamos explicar como fazer isso).

Assim como você, nossa amiga andava intrigada com essa história de melhor horário para comprar passagem aérea em promoção, pois viaja sempre pra matar as saudades do seu amor que mora longe. E já perdeu muitas horas de sono à caça de ofertas!

Bem, já que estamos há muito tempo na estrada (e dentro dos aviões!), nós, da MaxMilhas, podemos ajudar a tirar essas dúvidas.

Terça, quarta ou fins de semana?

Muita gente acredita que o dia do milagre é terça-feira, enquanto outros afirmam ser a quarta. Outros recomendam a compra nos fins de semana.

No entanto, os preços estão sujeitos a uma série de fatores, não diretamente ligados a um dia da semana específico. Veja o que pode influenciar nos preços:

  • a própria rota (se é um destino muito procurado ou não);
  • número de companhias aéreas operando naquela rota, ou seja, a concorrência;
  • a alta ou baixa estação;
  • a proximidade das férias ou de eventos importantes no destino;
  • estratégias de marketing pra promover uma rota inaugural;
  • o dia em que você vai voar (e não o dia em que você vai comprar).

Na realidade, os preços podem variar dentro de uma única semana, o que torna difícil uma previsão confiável pra determinado dia. Então, se você encontrar um ótimo preço, seja terça, quarta ou outro dia, não espere: reserve logo!

Não é possível ter certeza do melhor horário para comprar passagem aérea — a não ser que a companhia faça promoções específicas, anunciando preços baixos de sexta-feira até domingo, como algumas fazem.

O barato pode sair caro

O conceito de caro ou barato é relativo. Nossa amiga Isa já sabe disso e sempre confere minuciosamente todas as condições daquela oferta aparentemente imperdível.

O voo sai muito cedo? As conexões são apertadas? Chega ao destino tarde da noite? Como fazer pra ir do aeroporto até o centro da cidade?

Isa contou pra gente algumas experiências negativas. Na ânsia de agarrar logo a tarifa mais baixa, ela não prestou atenção aos detalhes e viveu algumas situações indesejadas:

  • já pagou caro pra despachar a mala no aeroporto, pois o precinho camarada só incluía bagagem de mão;
  • já pagou uma fortuna pelo lanche no avião, pois o voo era muito cedo e ela não teve tempo de tomar café (algumas aéreas low cost cobram até pelo amendoim!);
  • já teve que pagar também pelo fone de ouvido, pra ter música e vídeos durante um voo longo;
  • já correu feito louca em um aeroporto desconhecido e lotado pra mudar de portão de embarque em uma conexão apertadíssima;
  • já gastou 24 horas pulando de aeroporto em aeroporto no voo mais barato que incluía várias conexões longas, enquanto o voo direto noturno durava 9 horas (era só embarcar, dormir e acordar no destino!);
  • já saiu no frio das 3 horas da manhã pra estar no aeroporto às 4, e embarcar no voo baratinho às 6;
  • já chegou ao aeroporto de uma cidade desconhecida à meia-noite e descobriu que não havia mais ônibus circulando;
  • e o que é pior: descobriu muito tarde que aquela tarifa supereconômica não dava direito a milhas, quando já contava com elas pra próxima viagem!

Depois disso tudo, não foi difícil pra Isa concluir que o barato pode sair caro. Somando todos os gastos extras com táxis tarde da noite, pernoites e lanches em aeroportos e aviões, o mito do precinho camarada cai por terra.

O que realmente funciona

Ser flexível nas datas, voar na baixa temporada e pesquisar cuidadosamente pra comparar preços são dicas que realmente funcionam. Existem ótimos aplicativos de busca que facilitam muito essa tarefa.

A Isa tem uma dica útil: ligar pra central de reservas da companhia aérea e tirar todas as dúvidas com o atendente, antes de fechar a compra pela internet. É nessa conversa que você pergunta tudo, inclusive sobre a ocupação do avião.

Se disserem que está quase cheio, a probabilidade de haver uma redução de preços nos próximos dias é praticamente nula. Agradeça, desligue e compre pelo site, pois a compra diretamente na central de reservas também costuma incluir taxas.

E a dica de ouro: fique de olho nas milhas! Mesmo que não tenha o suficiente pra um bilhete-prêmio ou pra cobrir um trecho, você pode usar milhas de outros viajantes ou até vender as suas pra ganhar um dinheiro extra. Ainda vamos falar mais sobre isso neste artigo.

Esclarecida a questão do melhor horário pra comprar passagens, relaxe. Não precisa varar a madrugada esperando por ofertas. A não ser, claro, que a companhia aérea anuncie a venda só para aquele horário determinado.

Se não for assim, pesquise e planeje com antecedência, compre a passagem mais adequada ao seu caso, durma seu sono de beleza e prepare-se pra decolar!

2. Quer facilitar sua vida de viajante?

Não importa se você viaja pra namorar, a negócios ou pra conhecer outras culturas e lugares diferentes. É sempre bom contar com recursos que deixem a experiência mais proveitosa. Felizmente, a tecnologia facilita muito a vida do viajante!

A internet

Por incrível que pareça, ainda existe gente com preguiça de usar a internet pra pesquisar e que ignora muitos recursos disponíveis na rede. Hoje em dia, com um smartphone e uma conexão com a internet, você tem o mundo ao alcance da mão.

Por isso, escolha acomodações que oferecem wi-fi. Outra boa dica é comprar um chip de uma operadora local e contratar um pacote de dados pra ter internet longe de casa. Isso vale principalmente em viagens internacionais.

E aqui vai mais uma recomendação da Isa (ela é um amor, né?): procure ter uma noção da quantidade de dados ideal pra você. Na última viagem a Portugal, ela contratou um pacote de 8 GB da Lycamobile por 30 euros. Durante duas semanas, ela usou o WhatsApp à vontade, respondeu e-mails, mandou fotos e vídeos, usou redes sociais e fez mil pesquisas no Google. Ao fim da viagem, não tinha gastado nem 1 GB. Ou seja, poderia ter contratado um pacote de 2 GB em vez de 8 GB e seria mais do que suficiente.

Pelo smartphone, você pode fazer reservas e check-in, descobrir horários de transporte público, checar a distância até o aeroporto, ler sobre as melhores atrações, conferir a programação de cinemas e teatros, localizar restaurantes e tudo o necessário pra seu lazer.

Graças à internet, você conta com uma grande variedade de sites e aplicativos úteis pra viajantes. Veja alguns bons exemplos:

MaxMilhas (somos nós!)

Possibilita a compra de passagens com desconto emitidas pelas milhas que outros viajantes disponibilizam no site. Isso rende ótimos descontos.

Ao mesmo tempo, se você tem muitas milhas e quer transformá-las em dinheiro, o site negocia o melhor valor. E compara os preços das companhias aéreas e o preço com milhas, pra você escolher o melhor.

Google Flights

A gente já disse que não é possível determinar com segurança o melhor horário pra comprar passagens aéreas, mas podemos usar o Google pra acionar seu gigantesco banco de dados e levantar informações preciosas sobre voos.

O Google Flights é um buscador que mostra possibilidades que nem sempre aparecem em outros bons buscadores, como Skyscanner, Momondo ou Decolar.

E como nada escapa ao poderoso olho do Google, a ferramenta analisa o histórico do voo de seu interesse e alerta quando os preços tendem a aumentar, pra que você faça a reserva o quanto antes.

Google Maps

Existem bons aplicativos gratuitos de mapas, como o Maps.me pra iPhone e Android, que você pode baixar e usar offline. Mas se você já contratou o pacote de dados e seu celular não tem espaço pra baixar um monte de aplicativos, o Google Maps resolve. É só habilitar o localizador que ele “te acha” e mostra o caminho.

Melhores Destinos

Você pode usar o buscador de passagens no site ou então baixar o aplicativo no celular. Eles te avisam das melhores promoções pra vários destinos por e-mail ou aplicativo.

O site também traz avaliações reais de passageiros sobre voos de diferentes companhias.

Airbnb

Pra quem procura um contato mais próximo com a cultura local, o melhor é se hospedar na casa de um legítimo morador do lugar. No Airbnb você pode alugar uma residência particular pra passar os dias!

Se preferir, pode também alugar um apartamento inteiro e ter mais privacidade com o seu amor em uma viagem romântica.

O site cobra uma taxa de serviço e o anfitrião pode cobrar pela limpeza, mas mesmo assim os preços são bem convidativos se comparados aos dos hotéis.

3. Você sabia que pode estar perdendo um tesouro?

A maioria dos viajantes não presta atenção a esta vantagem quando viaja: o acúmulo de milhas aéreas. Lembra que dissemos que a maior decepção da Isa com a tarifa mais barata foi que ela não teve direito a milhas? É porque ela sabe que milhas significam dinheiro!

Então, siga o exemplo dela:

  • cadastre-se no Programa de Milhagem das companhias aéreas;
  • na próxima viagem, veja se compensa voar pela mesma companhia de sempre. Se a diferença de preço for pequena, vale a pena ser fiel;
  • se não voar pela mesma aérea, prefira as parceiras dela;
  • no check-in, apresente seu número de fidelidade pra que seus pontos sejam registrados;
  • não se lembrou no check-in? Guarde o cartão de embarque e peça suas milhas no site, dentro de seis meses no máximo;
  • use sempre um cartão de crédito parceiro pra acumular mais milhas;
  • nas viagens domésticas, pague tudo com cartão de crédito. Nas compras internacionais, veja se compensa pagar o IOF de 6,38%;
  • acumule mais pontos usando os parceiros da cia. aérea, como hotéis, restaurantes, aluguel de carros e outros;
  • se não tem milhas suficientes pra todos os trechos do voo, veja se compensa usar milhas em um trecho só, pois pode não ser vantajoso;
  • suas milhas são insuficientes? Compre as passagens com as milhas de outras pessoas disponibilizadas pela MaxMilhas. Sua economia pode chegar a 40%!
  • fique de olho na validade de suas milhas. Se estiverem perto de vencer e não houver nenhuma viagem nos planos, não perca tempo, negocie com a MaxMilhas.

4. Ainda precisa de inspiração pra viajar?

Além das viagens, outra paixão da Isa é cinema. Ela ama filmes sobre viagens ou que tenham como cenário as belas cidades que já conheceu ou que gostaria de conhecer.

No blog, já existe um post muito legal sobre filmes pra inspirar sua próxima viagem, mas ficamos curiosos pra conhecer os filmes favoritos de nossa amiga. Então, prepare a pipoca, convide seu amor e inspire-se:

Antes do amanhecer (Viena)

Um jovem casal se conhece em um trem na Europa e resolve descer em Viena pra viver um romance de uma noite só. O primeiro filme é de 1995 e faz parte de uma trilogia: “Antes do pôr do sol” (2004) mostra a sequência da história em Paris, e “Antes da meia-noite” (2013) completa a trilogia mostrando a Grécia.

Simplesmente Amor (Londres)

Nove histórias se entrelaçam no Natal de 2003, em Londres. A Isa contou que adora esse filme por um motivo especial: ela estava em Londres na época das filmagens e deu de cara com o Rodrigo Santoro na Oxford Street! Ele faz um papel secundário no filme, como par romântico da Laura Linney.

O fabuloso destino de Amélie Poulain (Paris)

Este é um clássico pra quem quer “passear” virtualmente pelas ruas de Montmartre, em Paris. Amélie Poulain é uma garçonete que gosta de fazer pequenas gentilezas no dia a dia, o que muda a vida das pessoas e dela própria. Quem visita Paris pode percorrer os caminhos de Amélie Poulain e conhecer o bar onde ela trabalhava em Montmartre.

O céu de Lisboa (Lisboa)

O renomado cineasta alemão Wim Wenders fez esse delicioso filme passado em Lisboa. O ponto forte, além da charmosa capital portuguesa, é a trilha sonora do grupo Madredeus, uma bela combinação de fados com música popular e erudita.

Comer, Rezar, Amar (Itália, Índia, Indonésia)

Uma americana depressiva decide jogar tudo pra o alto e passar um ano sabático viajando. A história foi inspirada na vida real da autora, Elizabeth Gilbert, que encontrou seu amor brasileiro na ilha de Bali, na Indonésia.

Vicky Cristina Barcelona (Barcelona)

Duas amigas em férias em Barcelona se envolvem com um charmoso pintor espanhol vivido por Javier Bardem. A história fica mais apimentada quando Penélope Cruz entra em cena, como a ex-mulher dele, que é muito ciumenta!

Rio (Rio de Janeiro)

Entre os filmes brasileiros que a Isa indica, essa premiada animação conta a história de uma ararinha azul em extinção buscando uma namorada, em uma movimentada aventura pelas paisagens do Rio de Janeiro. A trilha sonora inclui Carlinhos Brown e Sérgio Mendes.

Ó paí, ó (Salvador)

A descontraída atmosfera baiana é capturada nesse divertido filme que mostra a interação dos moradores de um cortiço no Pelourinho, em Salvador. O ótimo elenco traz Lázaro Ramos, Dira Paes, Wagner Moura e outros.

Bem, a Isa poderia sugerir mais um monte de filmes pra inspirar suas próximas viagens, mas agora temos outro assunto importante a abordar: a bagagem.

Mala é um assunto sério, pois um erro na preparação pode gerar muita chateação, e isso é o que você menos quer, não é mesmo?

5. Vamos arrumar a mala?

Continuando o bate-papo com a Isa, perguntamos se ela já tinha passado perrengues com a mala e a resposta foi positiva, claro. Quem viaja muito sempre tem boas histórias.

A Isa costumava carregar uma mala maior do que ela (ok, é força de expressão, mas a mala era bem grande). Imagine ter que arrastar mala pesada pra cima e pra baixo em estações, levantar pra colocar no bagageiro dos trens e puxar escadaria acima nos hotéis sem elevador. Estraga o bom humor de qualquer viajante. Detalhe: quando voltava pra casa, ela sempre descobria que não tinha usado nem metade do que tinha levado.

A gota d’água foi quando visitou duas amigas holandesas que já namoravam há anos e tinham decidido ter um bebê. A Isa planejou uma visita e encheu a mala de presentes: café brasileiro que as amigas adoram, cachaça pra fazer caipirinha, sandálias havaianas pra família toda.

Só se esqueceu de um detalhe importante: não existe lugar do mundo com escadarias mais estreitas e empinadas do que Amsterdam. Além das bicicletas, escadarias fazem parte da personalidade da cidade.

Então, ao chegar na casa das amigas, foi impossível fazer a “malona” passar pela escadaria íngreme, estreita e em curva. O jeito foi deixar a bendita no andar de baixo e carregar pra cima só o essencial. E, no final da viagem, lá estava a mala no hall, praticamente intocada. Tudo o que ficou dentro dela não fez falta alguma.

Mala: onde menos vale mais

A gente já escreveu um ótimo post sobre bagagem pra uma viagem de 3 dias, que você pode ler no blog. A preparação de uma mala prática e leve vai de acordo com o perfil da viagem e do viajante. Depende do tempo, do local, da programação, da época do ano, do seu estilo etc.

Mas a Isa tem dicas que são úteis em qualquer situação. Veja:

  • com uma semana de antecedência, confira se a mala está em boas condições e se as rodas estão perfeitas. Desnecessário dizer pra jamais levar uma mala sem rodinhas, não é? Mochilas são práticas, mas devem ter rodas também, pra permitir descansar as costas de vez em quando;
  • prefira malas expansíveis, que podem “crescer” no final da viagem, pra acomodar os vinhos e as lembrancinhas;
  • em vez de dobrar, faça rolinhos com as roupas, pra ocupar menos espaço;
  • reserve metade da mala pra roupas e metade pra necessaire, sapatos, acessórios etc.;
  • vai ficar fora 20 dias? Leve roupas pra 10. Não há problema algum em repetir roupa. Meias, lingerie e camisetas leves podem ser lavadas à noite e estarão secas de manhã;
  • não compre roupas só pra viajar. Leve as suas já usadas mesmo. Se necessário, aproveite pra comprar peças novas e diferentes no seu destino. Precisando de espaço na mala ao voltar, deixe as roupas velhas pra trás;
  • toalhas de banho são pesadas. Se vai pra hotéis ou casa de amigos, não leve nenhuma. Se vai pra hostel que não ofereça toalhas, leve uma canga ou uma peça pequena e leve;
  • valores nunca vão na mala e sim na bagagem de mão. Isso inclui dinheiro, cartões de crédito, documentos, celular, laptop, câmeras, carregadores etc.;
  • em viagens internacionais, líquidos, cremes e produtos de gel vão na mala despachada. Objetos pontiagudos como tesoura e pinça também;
  • na bagagem de mão, só embalagens com menos de 100 ml, colocadas em plástico transparente pra passar pelo raio x. Mesmo só com um restinho de produto no frasco, embalagens de mais de 100 ml serão confiscadas;
  • no inverno, use os sapatos e roupas mais pesadas no avião, em vez de colocar na mala. E use camadas que você poderá tirar quando o tempo esquentar.

As novas regras de bagagem

Em março de 2017, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) alterou as regras de bagagem em transporte aéreo.

O peso máximo que você pode levar na bagagem de mão subiu de 5 kg pra 10 kg. Por outro lado, seguindo o modelo europeu das companhias low cost, agora é permitido cobrar pela bagagem despachada. Mais do que nunca, é melhor viajar leve.

A AZUL, GOL e LATAM passaram a cobrar R$ 30,00 por mala de até 23 kg em voos domésticos. Já a AVIANCA, a única aérea que ainda despacha sua mala de graça, planeja começar a cobrar depois de julho de 2017. Já falamos sobre esse assunto com mais detalhes no blog, veja o post.

Então, agora que chegou ao fim da leitura, você ficou sabendo mais sobre o que funciona ou não nessa história de melhor horário para comprar passagens aéreas, além de conhecer aplicativos úteis, dicas pra arrumar a mala, filmes pra se inspirar etc.

E ainda conheceu nossa amiga Isa, que tem muita experiência em viagens com milhas. Em suas andanças pelo Brasil e pelo mundo pra encontrar seu amor, ela reúne muitas recomendações úteis e boas histórias de viagem pra contar.

Só falta assinar nossa newsletter! Assim, você não perde nenhuma novidade sobre viagens e sobre reserva de passagens com milhas. Então, o que está esperando? Assine logo!

Comentários

Deixe um Comentário