Um café com vista para o centro de Belo Horizonte

Por se localizar no vale da Serra do Curral, o centrão de BH tem poucos mirantes de onde se pode ver a cidade de cima. O jeito é recorrer a um prédio que tenha vista. No começo do ano, descobri o restaurante do Belo Horizonte Othon Palace, de frente pro Parque Municipal, e ele já se tornou um dos meus pontos de observação favoritos na cidade.

Pouca gente sabe, mas o restaurante Varandão, do Belo Horizonte Othon Palace, está aberto também para quem não é hóspede do hotel 4 estrelas mais tradicional da cidade. Pouca gente sabe, mas esse restaurante fica no alto, no 25º andar, e tem janelas amplas em toda sua extensão. É lá do alto que podemos ver o traçado geométrico das ruas, o Parque Municipal até onde a vista alcança, o curvilíneo Viaduto Santa Tereza, o fuzuê do baixo centro e a Serra do Curral emoldurando a cidade, serra que resiste apesar da extração minerária nos municípios vizinhos. Lá de cima, o centro não é barulhento e o caos parece ficar organizado. É um ótimo ponto de descanso dos olhos e das pernas ao final de um dia de turismo pela cidade.

Para ir ao Varandão, basta entrar no hotel, na Avenida Afonso Pena 1050, esquina com Rua da Bahia e Tupis. Atravesse o hall e pegue o elevador até o último andar. Não precisa nem se registrar na recepção (o que talvez seja uma brecha na segurança, mas há câmeras e guarda-costas por todos os lados). Honestamente, não acho a comida do restaurante do Othon tão boa para justificar os preços praticados, mas o cafezinho é justo. Nespresso bem tirado, vem com um biscoitinho gostoso, água com gás e um pau de canela para mexer o açúcar. As melhores mesas são, é claro, ao lado da janela.

Desde que uma amiga me contou da existência e acessibilidade do Varandão, no começo do ano, levo os visitantes de fora para um cafezim nas alturas durante o fim da tarde. Quem mora em BH também ficou surpreso, como eu na primeira vez que fui, ao descobrir esse ponto de encontro tão acessível e privado ao mesmo tempo. Não dá pra ver o pôr do sol lá de cima, ele se esconde do outro lado do centro, mas naquela hora mágica todas as cores ficam alguns tons mais quentes, especialmente no inverno. Aí a tarde acaba, o parque se torna uma massa escura lá embaixo e a noite pode começar em outro lugar, com uma cerveja ou um drink nos bares do Edifício Maletta por exemplo. Ou um jantar em algum dos restaurantes novos da Rua Sapucaí, que também é logo ali.

O Varandão abre de 11h às 23h. Infelizmente, pois pela manhã o nascer do sol deve ser espetacular. Para ver o astro-rei brilhar atrás do Parque, vai ser preciso mesmo se hospedar no Othon – e madrugar.

Lívia Aguiar
Deixe seu comentário!