São Paulo

icon-desk-star@2x Created with Sketch. O que fazer
icon-desk-calendar@2x Created with Sketch. Quando ir
icon-desk-talher@2x Created with Sketch. Onde comer

Entre seus arranha-céus, a maior cidade da América Latina tem motivos de sobra para encantar seus turistas. Conheça mais sobre São Paulo, a cidade que nunca dorme!

Qual é a cara de São Paulo? Essa é, sem dúvidas, a pergunta que vale um milhão de reais. É impossível definir um paulistano de uma forma só: a maior cidade da América Latina é uma confusão de rostos, culturas e jeitos que, ao mesmo tempo, a transformam em um lugar único.

É justamente esse mix cultural que traz atrações diversas e apaixonantes, que vão desde museus, avenidas históricas, ruas marcantes, parques que disputam espaço entre os prédios… enfim, existe uma São Paulo para cada tipo de pessoa. Antes, vamos conhecer um pouco mais sobre a história da cidade.

História de São Paulo

Do século XVI ao XVIII

A terra da garoa é quase tão antiga quanto o país. Fundada em 25 de janeiro de 1554, a capital paulista foi fundada a partir de um colégio jesuíta que ficava entre os rios Anhangabaú e o Tamanduateí. 

Seis anos depois, a cidade começou a ser povoada, mas ainda era considerada uma vila isolada dentro da colônia. Muito se deve ao fato que, naquele tempo, o litoral tinha a maior atenção e o lugar era a única vila no interior do país. 

Esse status durou dois séculos inteiros, até que, em 1683, a capital da Capitania de São Vicente se tornou a Vila de São Paulo. Pouco tempo se passou e a vila se tornou cidade, mais exatamente em 1711. São Paulo era o centro do estado homônimo e servia de escoamento para o litoral, aumentando o seu tamanho gradativamente.

Do século XIX aos tempos atuais

A partir da independência do Brasil, São Paulo viu a quantidade de sua população aumentar. Não é por menos: foi na beira do rio Ipiranga, localizado na cidade, que Dom Pedro I proclamou o famoso grito de independência ou morte.

Nessa época, São Paulo cresceu a partir da exploração do café e da disponibilização de vagas para estudantes e professores nos novos cursos que surgiam no lugar. A ferrovia, criada para escoamento da produção de café, trouxe moradores que vinham do interior e acabavam ficando por ali.

Outra migração que começou a surgir no século XX foi de imigrantes, principalmente italianos e japoneses. A industrialização da cidade foi um salto que transformou a capital do estado em metrópole nacional, sendo centro das indústrias nacionais e gradativamente se consolidando como o centro de comércio global que conhecemos hoje.

Os atrativos de Sampa

Acredite: você nunca terá tempo para explorar todos os cantos de São Paulo. Para começar, a cidade é a definição perfeita de megalópole. Além disso, a grande oferta de atrativos que Sampa oferece vai exigir que você sempre volte algum dia. Não que você ache isso ruim, não é mesmo? 

A cidade começa na sua avenida mais famosa: a Avenida Paulista. Palco dos principais protestos que acontecem no Brasil, é nela que estão as principais empresas nacionais e também um dos pontos mais famosos da cidade: o MASP. Também é por lá que acontece a maior Parada LGBT do mundo. 

Nos arredores da avenida, está também a Rua Augusta, conhecida por sua vida noturna. Aliás, falando em vida noturna, São Paulo é marcante justamente por nunca parar. Seja nos edifícios comerciais ou nos bares que passam na Vila Madalena, o paulistano sempre encontra as ruas cheias – de carro ou de gente. 

Cabe ressaltar que os museus e centros culturais estão enraizados na cidade cosmopolita. Apresentações, peças, shows e inúmeras exposições – do futebol à língua portuguesa – levam o turista para vários lugares em uma cidade só. 

Os pontos que você tem que conhecer

O texto ficaria longo demais se a gente citasse todos os lugares que existem em São Paulo. Por isso, vamos listar os principais para você planejar a sua viagem com um roteiro definido. Vamos a eles! 

Mercado Municipal

Lar do famoso (e gigante!) pão com mortadela, o Mercadão é lar de experiências gastronômicas para turistas e moradores. Localizado no centro histórico de São Paulo, você encontra - além do sanduíche - pastéis, frutas, hortaliças e até lembrancinhas para trazer de sua viagem. 

Parque Ibirapuera 

Quem disse que São Paulo só tem arranha-céu está muito enganado. O Parque Ibirapuera é um respiro de verde no meio do mar de concreto. Além do espaço ecológico, aqui você encontra museus, esculturas e uma ótima oportunidade de fazer um piquenique ou um esporte bem no meio da cidade. 

Bairro Liberdade

O continente asiático está muito mais próximo de nós do que pensamos. Tudo isso graças ao bairro Liberdade, local de Sampa que concentra o maior número de descendentes de japoneses que vieram morar na cidade no século XX. Hoje, o local também é moradia de chineses e coreanos. 

Vila Madalena

A região boêmia da Vila Madalena é um prato cheio para quem não quer dormir cedo. Repleto de bares, restaurantes e boates, o local conta com várias opções de estabelecimentos e variedades gastronômicas. Não deixe de aproveitar o seu chopp com os paulistanos da noite e de ver os grafites do Beco do Batman pela manhã.

MASP

O cartão postal de São Paulo é aqui! Cravado no coração da Avenida Paulista, o MASP é um museu que traz grandes exposições e reconhecido como ponto de partida das principais manifestações que ocorrem em seu vão. Nos domingos, o local vira uma área ampla de convivência dos moradores.

Os melhores museus de SP

Como já dissemos, São Paulo é um lugar de múltiplas culturas. Muito por isso, a cidade é um ambiente de vários museus, alguns temáticos e outros que recebem exposições itinerantes.

Além do MASP, que conta com uma coleção de arte francesa e outras itinerantes, São Paulo conta com o Museu do Futebol, localizado no Pacaembu. Contando a história do esporte, ele permite uma verdadeira viagem para os amantes do futebol. 

Só na região Parque Ibirapuera, existem o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), o Museu de Arte Contemporânea e também o Museu Afro Brasil. Não menos importantes, estão o Museu da Língua Portuguesa e a Pinacoteca, ambos no centro e que cabem uma visita. 

Melhor época para ir à São Paulo

Não está podendo planejar uma data específica para visitar São Paulo? Isso não é problema! A capital do estado homônimo pode ser visitada em qualquer estação do ano sem maiores problemas. Mas não quer dizer que você não precise se preparar.

O inverno paulistano é marcado por temperaturas geladas, que exigem o uso de um casaco mais reforçado. Nessa época, as chuvas são mais raras e o tempo é seco, com uma forte presença de ventos e um bloqueio do sol graças aos arranha-céus. A sensação térmica pode ser ainda mais fria nessa hora. 

Já no verão, o calor é digno de qualquer região brasileira. Uma particularidade talvez seja a facilidade em que as chuvas ocorrem nessa época. Então, tenha sua sombrinha às mãos e aproveite os passeios enquanto o aguaceiro não vem. 

Já está pronto para conhecer a maior cidade da América Latina? Prepare as malas para São Paulo e se encante com tudo que essa megalópole te oferece.

Deixe um Comentário