Entenda como vai ser a cobrança por bagagem despachada a partir de março

Esclarecemos algumas dúvidas sobre a cobrança que podem ajudar você na sua próxima viagem; Vamos juntos?

A partir de março, os passageiros terão de pagar pela bagagem despachada. A mudança foi aprovada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) em dezembro do ano passado e vale tanto para os voos nacionais quanto para os internacionais.

Isso significa que as companhias aéreas não são mais obrigadas a transportar, sem custo adicional, os tradicionais 23 quilos em voos domésticos e 32 quilos em viagens para fora do país.

Listamos algumas dúvidas que podem ser as suas. Vamos lá?

Quando começam a valer as novas regras?

A mudança tem data exata para começar a ser aplicada: 14 de março. Ou seja, as passagens aéreas compradas a partir desse dia já estarão sujeitas às novas regras. Durante a compra, aliás, você terá que informar se vai viajar com bagagem ou não.

Como será feita a cobrança por bagagem despachada?

Se escolher viajar com bagagem, o despacho poderá ser cobrado. Porém, as companhias ainda não divulgaram os valores exatos. A Gol foi a primeira a se pronunciar, dizendo que vai vender franquias por mala, de acordo com dimensão e peso estipulados.

A empresa informou, ainda, que haverá aumento gradual de valores. Então, a primeira mala será mais em conta que a segunda, que será mais barata que a terceira e assim por diante. É bastante provável que as outras companhias sigam um modelo parecido com esse, mas ainda é preciso esperar para ver!

Bagagem de mão

As novas regras estabelecem um limite mínimo gratuito de 10 quilos para a bagagem de mão, aquela que pode ser levada junto com o passageiro no voo. Um alívio para quem faz viagens mais rápidas para prestar concursos ou fazer negócios no estilo “bate e volta”.

As passagens ficarão mais baratas?

É o que os órgãos reguladores e as empresas defendem com essa mudança. O secretário de Política Regulatória de Aviação Civil, Rogério Coimbra, disse à Agência Brasil que 35% dos passageiros embarcaram sem levar bagagens em 2015 e que muitas pessoas deixaram de viajar por causa do alto valor dos bilhetes.

Ao pedirem o fim da franquia gratuita, as empresas argumentaram que os passageiros que viajam sem malas acabam custeando o espaço reservado aos viajantes com bagagens. Espaço, aliás, que elas pretendem usar para aumentar a receita com transporte de cargas. Por isso, muitas companhias prometem uma tarifa mais barata para quem não for despachar bagagem, mas só teremos mesmo certeza em 14 de março.

Outras mudanças aprovadas

Junto com esse mesmo pacote, a Anac aprovou outras regras que são de interesse dos passageiros e que vão valer a partir da mesma data. Confira:

  • Divulgação de taxas: o preço do voo deverá ser divulgado já com as taxas de embarque e administrativas. Então, chega de sustos ao descobrir que as taxas são mais caras que a própria passagem;
  • 24 horas para arrependimento: ao comprar uma passagem com mais de 7 dias de antecedência, você poderá se arrepender em até 24 horas. A companhia deve anular o pedido e fazer o reembolso integral;
  • Alterações de horário: se a companhia modificar a saída de um voo em mais de 15 minutos, você poderá pedir reembolso ou remarcação para outro horário. Detalhe: sem cobranças extras.
  • O voo de volta vale: se você perder o voo de ida, ainda pode utilizar o voo de volta. Para isso, basta avisar a companhia aérea antes do horário de partida do voo de ida. Assim, a multa e a diferença de preços só vão incidir sobre o novo voo de ida.

Dessa forma, podemos dizer que algumas mudanças seguem a tendência do que já ocorre em outros países. As companhias aéreas terão mais liberdade para estabelecer as tarifas por bagagem despachada, mas todos os valores deverão estar claros aos passageiros. Vamos ficar atentos!

Agora que você já entendeu quais são as mudanças na cobrança por bagagem, conheça as opções que a MaxMilhas oferece para diminuir o custo da sua viagem. Acesse o nosso site e boa viagem. 

Deixe seu comentário!