Velha guarda da Gastronomia: os clássicos de BH para matar a fome no Carnaval

Dizem por aí que a comida mineira é uma das melhores do Brasil. Só ouço verdades! Essa mistura de influências que vêm de várias partes do país e dos continentes africano e europeu, nos transformou na “cozinha do Brasil”, com aconchego e cheirinho de café da roça e bolo de vó.

Belo Horizonte reúne uma grande variedade de restaurantes, que vão da cozinha mineira à gastronomia internacional. Alguns, estão na cidade desde o início do século 20 e representam tudo que o brasileiro curte: tradição, boa comida, cerveja gelada e bom papo.

A gente sabe que curtir os blocos de Carnaval dá uma fome danada. Então que tal aproveitar que o Carnaval de BH 2019 está chegando para conhecer a gastronomia tradicional da cidade?

Montamos um roteiro especial com os bares e restaurantes raiz para você experimentar nos intervalos dos bloquinhos. Saca só!

Você vai amar Santê

Você já deve tá ligado que BH é considerada a capital mundial dos botecos e tudo começou numa esquininha do Santa Tereza, há exatos 100 anos atrás, no Bar do Orlando.

Tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural de Belo Horizonte, o bar é o mais antigo da cidade e era, originalmente, uma lojinha de pesca. Até hoje o espaço parece uma mercearia, com comida típica mineira, rodas de samba e MPB e boa cerveja.

Lá é uma boa pedida pra quem quer curtir a infinidade de blocos no Santê. Berço do Clube da Esquina,  o bairro faz a mistura perfeita entre a cultura boêmia, Carnaval e boa cozinha.  

No mesmo bairro você encontra outra relíquia da culinária e dos fins de noite belo-horizontinos: o Restaurante Bolão. No Carnaval dá para conciliar os diversos blocos durante o dia e almoçar o famoso rochedão na Praça Duque de Caxias.

Samba e comida boa na Centro-Sul

Chegando na região Centro-Sul são vários os blocos que desfilam pelas ruas. Todos os dias e horários você encontrará o que fazer durante o Carnaval.

A Avenida Brasil, por exemplo, conhecida pelos chorinhos e rodas de samba que acontecem ao longo do ano, se transforma no Carnaval para receber diversos blocos. Os ensaios já estão rolando pelo Santa Efigênia, mas, oh, não esquece que por ali está a zona hospitalar e silêncio nas ruas próximas às unidades de saúde é fundamental!

O Brasil 41 é um dos bares mais tradicionais da região, mas todo o entorno está mergulhado no samba e tem várias opções para matar a fome. Principalmente para quem ama uma comida de boteco.

Seguindo para os rolês da Savassi, o restaurante Casa dos Contos é a pedida tradicional. O Filet Surprise e à Parmegiana já estão no imaginário da cozinha belo-horizontina há quase 50 anos. O bom da Savassi é a variedade de estilos. No Carnaval você encontra atrações pra todos os gostos, palcos, blocos, botecos, espetinho e por aí vai.

Vai subir as ladeiras do Santo Antônio para acompanhar os blocos? Pelo bairro, vale a pena visitar a gloriosa Mercearia Lili, aberta há 70 anos. Nas prateleiras você vê de tudo, de alimentos a produtos de limpeza. Para comer, comidas de buteco deliciosas, bife à milanesa e, para os mais aventureiros, carneiro. Vale muito a pena se arriscar!

De rolê pelo Centro

Continuando nessa pegada de Carnaval com rangos de tradição, o Centro de BH é uma das melhores opções. Por lá dá para comer várias vezes ao dia e ganhar “sustança” pra seguir os blocos.

Comece tomando um cafezinho no Café Nice. Fundado em 1939, o café fica no coração de BH,  está na rotina de muitos trabalhadores e encravado na história da cidade, recebendo do operário ao Presidente da República. Aproveite para conferir as fotos na parede e entender a vibe nostálgica do lugar.

Depois, parta para os blocos. Para se manter saudável e aguentar o ritmo, a dica é não se esquecer de comer. Dá para traçar um KAOL de respeito no Café Palhares. Inaugurado em 1938, o restaurante é aquele reduto no centrão que reúne gente de todo tipo – músicos, políticos, torcedores de futebol, trabalhadores da região, gente que quer tomar umas e gente que só quer bater um pratão. Credo, que delícia!

Se seu rolê é um pouco mais tranquilo, a dica é ir ao edifício Maletta e comer na Cantina do Lucas. Desde 1962, o restaurante tem unanimidade quando se fala na qualidade do cardápio à la carte. Patrimônio Histórico e Cultural da cidade, foi lá que trabalhou Sr. Olympio, o garçom com maior tempo de atividade do país, imortalizado até no Guinness Book.

Se você não é de BH ou se é, mas ainda não conhece, é hora de criar vergonha na cara e ir ao Mercado Central.

Com mais de 400 lojas, o mercado oferece o melhor de Minas: artesanato, temperos, queijos, doces típicos e, claro, boa comida. Não pode deixar de experimentar o fígado acebolado com jiló, hein? A gente tá falando de gastronomia raiz!

E pra seguir essa lógica, não pode faltar aquele clássico caldo de mocotó acompanhado com ovo de codorna do Bar do Nonô. Com mais de 50 anos de tradição, o boteco foi reformado em 2016, mas não perdeu o gostinho que o público adora.

E claro, uma volta na Pampulha

E se você quer entrar de vez na experiência da comida típica mineira, com direito a fogão a lenha e tudo mais, o restaurante mais tradicional de BH é o Xapuri, na Pampulha.

Dá pra pegar um Uber do Centro até a região, visitar a Lagoa e a Igrejinha da Pampulha, o Mineirão e, ainda, curtir os bloquinhos por ali. Tem de axé, samba, forró e muito mais, além de eventos acontecendo na Esplanada.

Quer saber mais sobre os lugares em que você vai curtir a folia? Veja como essa cidade surpreendente se transforma para o Carnaval.

Juntando a festa carnavalesca com o prazer de se sentar à mesa mineira, o rolê fica completo. Lembre-se que o período oficial vai de 16 de fevereiro a 10 de março. Dá pra fazer de tudo e mais um pouco!

Agora que você já tem  o roteiro gastronômico de Bh é só comprar suas passagens aéreas. Na MaxMilhas você encontra passagens  com preços incríveis. Não tem desculpa para perder a folia, né?

Para saber tudo em primeira mão, baixe o app Belo Horizonte Surpreendente, disponível na App Store e Google Play. E fique de olho nas nossas redes sociais!

Deixe um Comentário