O guia definitivo de lugares para você visitar em São Paulo

Lugares para visitar em São Paulo é o que não falta, já que se trata de uma cidade grande, plural, rica e diversificada. Por isso mesmo, para conhecer bem a capital do estado de mesmo nome, é fundamental se planejar com bastante antecedência e atenção a fim de aproveitar ao máximo tudo que o destino tem a oferecer!

Com a correria do dia a dia, pode ser complicado programar direito uma viagem. Para te ajudar com essa demanda e dar um empurrãozinho para você finalmente fazer aquele passeio especial em São Paulo, preparamos o guia definitivo para conhecer a cidade. Acompanhe!

Um breve histórico sobre São Paulo

Antes de apresentarmos as melhores atrações de São Paulo, que tal conhecermos a história da cidade? Sem dúvida, sua experiência será muito mais rica se você ficar por dentro de alguns acontecimentos, personalidades e marcos históricos que tornaram São Paulo o que ela é hoje em dia.

Fundação

A colonização oficial da região que hoje corresponde ao estado de São Paulo começou em 22 de janeiro de 1532, com a fundação da vila mais antiga do Brasil, a Vila de São Vicente (atualmente, município de São Vicente, a 70 km da capital). A história da cidade de São Paulo tem início alguns anos depois.

Em 1553, os jesuítas — entre eles, José de Anchieta e Manoel da Nóbrega — procuravam o lugar ideal para se instalar na região, que fosse seguro e permitisse a catequização dos índios locais. Para isso, subiram a Serra do Mar e chegaram ao planalto de Piratininga, que agradou pelos ares frios e pela terra fértil.

Assim, os jesuítas construíram, próximo aos rios Anhangabaú e Tamanduateí, um colégio — onde celebraram uma missa de inauguração, no dia 25 de janeiro de 1554. A data é muito importante para explicar o nome da cidade: trata-se do mesmo dia que a Igreja Católica havia escolhido, muitos anos antes, para comemorar a conversão de Paulo de Tarso, que se tornaria conhecido como o Apóstolo São Paulo.

O povoado cresceu, a partir de então, ao redor do colégio. Porém, só se tornou a cidade de São Paulo depois de 157 anos, em 1711, numa decisão que foi ratificada pelo rei de Portugal.

Crescimento

Com o passar dos anos, a cidade foi expandido e se tornou a capital da Província de São Paulo, em 1815. Se hoje o local é uma referência intelectual do país, deve muito a um acontecimento dessa época: a fundação de sua primeira faculdade, de Direito, no Largo São Francisco.

No final do século 19, São Paulo se transformou, aos poucos, em um importante centro econômico do país, graças ao crescimento da cafeicultura. Sabe aquele tanto de gente de diferentes ascendências que a gente encontra na capital paulista? Então, a explicação está aqui: com o desenvolvimento econômico, São Paulo passou a receber imigrantes do mundo inteiro para trabalhar nas lavouras e, depois, em seu parque industrial.

Durante a República Velha (1889-1930), é estabelecida a política do café com leite: um acordo nacional entre as oligarquias de São Paulo e Minas Gerais e o governo federal. Com o pacto, a presidência da República se alternaria somente entre políticos dos dois estados. O nome do acordo é explicado pela principal atividade econômica de São Paulo e Minas: o café e o leite, respectivamente. A política acabou em 1930 (quando o gaúcho Getúlio Vargas subiu ao poder), mas foi essencial para que São Paulo se firmasse como referência política do Brasil.

A partir dos anos 1930, São Paulo se concretizou como polo intelectual (com a criação da USP, em 1935) e econômico (com o crescimento da indústria em diversos setores, especialmente na década de 1940) do país. Atualmente, a capital paulista é considerada o mais importante centro comercial da América Latina, e conta com uma população de mais de 12 milhões de habitantes!

A importância da cidade para o Brasil

São Paulo representa o maior Produto Interno Bruto (PIB) municipal do Brasil — são quase 500 bilhões de reais. É digno de um país!

Há alguns anos, São Paulo vem sofrendo algumas mudanças em seu perfil econômico. A indústria se constituiu, durante um bom tempo, como a principal atividade econômica local. Porém, nas últimas décadas, boa parte do setor industrial vem migrando para a Grande São Paulo, ao passo que a capital se destaca como uma cidade terciária, centro de serviços e negócios fundamentais para o país.

Para entender melhor, basta ver que, por exemplo, a bolsa oficial do Brasil está localizada em São Paulo: a BM&FBOVESPA (Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo). Trata-se da maior bolsa de valores da América Latina, a segunda maior da América e a terceira maior do mundo em valor de mercado. Além disso, a sede de mais de 60% dos grupos internacionais instalados no Brasil está em São Paulo. É muita coisa, não?

Quanto ao turismo, a capital paulista é muito importante para o Brasil também: é o principal destino de negócios no país e o terceiro em termos de lazer. Mais à frente, você vai entender por que tanta gente procura São Paulo para se divertir!

Quando se fala de cultura, também é impossível ignorar a força de São Paulo. Além de ter sediado a histórica Semana de Arte Moderna de 1922 — que mudou para sempre a arte e a literatura produzidas em terras brasileiras —, a capital paulista é sede de diversos eventos que movimentam a cena cultural nacional, como a Bienal Internacional de Arte de São Paulo, a Virada Cultural, o Lollapalooza Brasil, a São Paulo Fashion Week e a Parada do Orgulho LGBT.

Mas e no cenário mundial, como fica São Paulo?

A relevância de São Paulo para o mundo

Um recente estudo, realizado pela Civil Service College de Cingapura e a Chapman University em 2014, colocou São Paulo como a cidade mais influente da América Latina. A pesquisa avaliou categorias como diversidade, investimento estrangeiro, mídia, tecnologia e dominação industrial.

São Paulo é a única cidade do Brasil a aparecer no ranking (liderado por Londres, Nova York e Paris), em 23º lugar. Além disso, está à frente de Berlim, Milão, Miami e Buenos Aires!

Mas isso não é nenhuma surpresa: afinal, estamos falando da maior metrópole brasileira, uma das cidades mais globalizadas do mundo, ocupando o 14º lugar no ranking de cidades globais elaborado pelo Globalization and World Cities Study Group & Network, da Universidade de Loughborough (Inglaterra).

O estudo apenas reflete como a cidade apresenta uma economia forte, que atrai investimentos de todo mundo e que é referência em termos de diversidade cultural e étnica — já que, como dissemos, o local recebeu (e continua recebendo) imigrantes de todo o mundo. Vale destacar que São Paulo tem a maior comunidade japonesa do mundo: são 600 mil imigrantes.

Isso sem falar dos turistas que vêm de fora: segundo dados do mais recente levantamento oficial, a capital recebeu 2,5 milhões de estrangeiros em 2016. Sejam de fora do país ou de dentro, o que atrai tantos visitantes?

Atrações turísticas para todos os gostos

São muitos os passeios imperdíveis em São Paulo. A cidade recebe, em média, mais de 11 milhões de turistas por ano (entre brasileiros e estrangeiros), que podem curtir atrações para todos os gostos e idades, como museus, baladas, parques e construções históricas. Antes de preparar sua mala e comprar a passagem, que tal conhecer alguns desses lugares? Acompanhe!

MASP

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) é um dos mais importantes do Brasil. Fundado em 1947 pelo empresário Assis Chateaubriand, é considerado o primeiro museu moderno do país.

Atualmente, a coleção do MASP inclui mais de 10 mil obras, entre esculturas, pinturas, fotografias, objetos e vestuários de períodos diversos. Na exposição permanente do museu, você encontra a produção artística de países dos continentes americano, europeu, africano e asiático.

Localizado num prédio de arrojada arquitetura, na Avenida Paulista, o MASP apresenta uma intensa programação de exposições temporárias ao longo do ano, além de palestras, cursos e apresentações de teatro, dança e música. Ótimo para os turistas que não perdem a oportunidade de fazer um passeio cultural e que amam museus!

Parque Ibirapuera

Considerado o mais importante parque urbano de São Paulo, o Parque Ibirapuera foi inaugurado em 1954 para comemorar os 400 anos da cidade. O jornal britânico The Guardian elegeu-o um dos melhores parques urbanos do mundo, ao lado de pesos pesados como o Parque Güell (Barcelona) e a HighLine (Nova York). Que moral!

Lá, você encontra museus, auditórios, quadras, pistas de corrida, lagos artificiais e trilhas para passeio — além, é claro, de uma ampla área verde, que conta com quase 500 espécies vegetais. O projeto arquitetônico do parque é de Oscar Niemeyer.

Numa cidade tão urbana e movimentada, os 158 hectares do Ibirapuera se transformam em um verdadeiro paraíso. Indispensável para quem aprecia um bom passeio com a família ou a dois!

Pateo do Collegio

Lembra que contamos sobre o nascimento de São Paulo a partir da construção de um colégio pelos jesuítas? Então, essa construção ainda existe e é uma boa opção para os amantes de história!

Entre 1932 e 1953, o Pateo do Collegio funcionou como Secretaria de Educação. Em 1954, a Companhia de Jesus iniciou a reconstrução do prédio (que havia sofrido desmoronamentos nos séculos 18 e 19). A obra só terminou em 1979, com a fundação da Igreja Beato Anchieta e do Museu do Padre Anchieta.

Atualmente, o complexo apresenta diversas atividades culturais. No museu, o visitante encontra arte sacra, objetos indígenas e uma maquete da São Paulo do século 16. A Biblioteca Padre Antonio Vieira, por sua vez, abriga um vasto acervo de livros de história, além de sediar congressos, cursos e apresentações de música. Vale visitar!

Liberdade

Como dissemos, a comunidade japonesa está presente em peso na cidade de São Paulo: são quase 700 mil pessoas vivendo na capital. E o charmoso bairro Liberdade apresenta a maior concentração de descendentes do país do sol nascente, com sua riquíssima cultura.

Por isso mesmo o Liberdade é especial: parece outro país dentro de São Paulo! A cada esquina, você respira a vida oriental: na decoração, na culinária, na arte, nas lojas — e, claro, no contato com as pessoas.

Uma dica: aos finais de semana, acontece a Feira de Arte, Artesanato e Cultura da Liberdade, conhecida como Feirinha da Liberdade. O evento atrai desde crianças até idosos, interessados em curtir a cultura do Japão, na forma de comidas e produtos típicos. Não perca!

Theatro Municipal

Um dos principais cartões-postais de São Paulo, o Theatro Municipal é para ser admirado por fora e por dentro: sua arquitetura é imponente e impressiona os visitantes.

O teatro representa as ambiciosas aspirações cosmopolitas da capital do início do século 20. Com o crescimento da economia baseada no café, a alta sociedade local mirava o modo de vida europeu e demandava uma casa de espetáculo à altura, a fim de receber artistas do teatro e da música: assim surgiu a luxuosa construção, influenciada pela Ópera de Paris.

O edifício apresenta traços renascentistas e barrocos em sua fachada, e o interior é repleto de obras de arte, como bustos, medalhões, afrescos, cristais e vitrais. A casa já recebeu grandes nomes como Heitor Villa-Lobos, Isadora Duncan, Francisco Mignoni, Wacław Niżyński, Ella Fitzgerald e Mikhail Baryshnikov.

Ficou interessado? Você pode tanto acompanhar algum espetáculo no local quanto realizar uma visita guiada.

Pinacoteca

Inaugurada no natal de 1905, a Pinacoteca do Estado de São Paulo é, sem dúvida, um dos mais importantes museus brasileiros. Com um acervo riquíssimo, de quase 10 mil obras, é mais um destino que não pode ficar de fora do seu passeio pela cidade!

O museu de arte mais antigo de São Paulo tem foco nas artes visuais produzidas em nosso país do século 19 até hoje, e realiza em torno de 30 exposições atualmente. Recebe, por ano, em torno de 500 mil visitantes.

Entre as obras que podem ser encontradas na Pinacoteca, destacam-se trabalhos de artistas como Pedro Alexandrino, Oscar Pereira da Silva, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Nuno Ramos e Paulo Monteiro. Se gosta de arte, esse é um dos lugares para visitar em São Paulo!

Experiências e curtição

São Paulo não decepciona quem gosta de experiências diferentes com o espaço urbano e de uma boa balada. Se esse é o seu perfil, não deixe de seguir na leitura!

Bixiga

Caso você goste de passear pelas ruas e sentir como é a vida da população local, entrando em contato com a cultura da cidade, não deixe de conhecer o tradicional Bixiga (que não é, oficialmente, um bairro, mas tornou-se reconhecido dessa forma pela população).

Fundado em 1º de outubro de 1878 por imigrantes italianos, o Bixiga apresenta grande diversidade. Prova disso é que se trata de um dos bairros mais religiosos e, ao mesmo tempo, mais boêmios da capital. Assim, se você é religioso, pode aproveitar a tradicional Festa de Nossa Senhora Achiropita; se prefere curtir a noite, é só desfrutar de bares como o Café Piu Piu e o The Wall Café.

Vale destacar também as diversas cantinas localizados no Bixiga, como as italianas C… que Sabe! (inaugurada em 1931) e Cantina Montechiaro (aberta desde 1974). Aos domingos, dê um pulo na Feira de Antiguidades do Bixiga, onde poderá encontrar móveis de época, discos, livros, câmeras fotográficas antigas, brechós e muito mais.

25 de março

A Rua 25 de março é o maior centro de comércio da América Latina e uma experiência única — mesmo para quem não quer comprar nada, mas conhecer esse lado tão famoso de São Paulo.

A rua surgiu no século 19, quando imigrantes árabes deram início ao comércio local. A partir dos anos 60, a 25 de março foi se tornando referência em diversidade de produtos e preço baixo. Por isso mesmo (e pela boa localização), é uma área muito movimentada: são cerca de 400 mil pessoas por dia, e mais de um milhão em datas como o Natal.

Frequentada por todas as classes sociais, a 25 de março, com certeza, tem o que você quer comprar, seja artigos para o lar, bijuterias, jogos de videogame, tecidos, eletrônicos, fantasias, brinquedos ou qualquer outro produto!

Beco do Batman

São Paulo é uma cidade com um espaço urbano em constante transformação — como fica evidente no caso do Minhocão. Outro ambiente que se transformou ao longo do tempo e hoje vale uma conferida é o Beco do Batman.

Antigamente, um local abandonado e esquecido, o espaço foi revitalizado há alguns anos e se tornou ponto turístico. A passagem de carros até foi interrompida nas vielas da Vila Madalena em que o Beco está localizado, a fim de favorecer o trânsito de pessoas, que podem admirar os incríveis grafites.

Ao que consta, o espaço ganhou esse nome porque, da noite para o dia, apareceu um desenho do Batman numa parede da viela, lá pelos anos 1980. Verdade ou mentira, o que importa é que o Beco do Batman é referência em arte de rua há 30 anos!

Beco 203

Curte uma balada? Então não deixe de conferir o Beco 203, uma das casas noturnas mais bombantes dos últimos tempos em São Paulo, localizada na tradicional Rua Augusta.

O Beco 203 é conhecido por realizar festas temáticas baseadas em filmes cult (como Clube da Luta) ou voltadas para tributos a artistas e bandas. O foco da casa é a música indie, transitando pelo rock, pop, eletrônico e até MPB.

O ambiente é bastante descolado, com intervenções do artista plástico Mopho Del-Rey nas paredes. No piso superior, há arcades e fliperamas. Uma boa escolha para quem quer aproveitar a noite com o parceiro ou está a fim de conhecer gente nova, especialmente se estiver viajando sozinho.

DJ Club

Outra ótima opção para a noite é a DJ Club. Em contraste com o estilo das outras casas de Jardins, seu estilo é mais underground, e conquistou um público fiel — tanto é que está na ativa há dezessete anos.

Com estrutura de três andares e cinco ambientes distintos, a DJ Club apresenta uma programação bem variada ao longo da semana: black music nas quintas; hits dos anos 80 e 90 nas sextas; clássicos do rock no sábado.

O prestígio da DJ Club é tanto que já passaram por lá grandes figuras da cena alternativa, como Igor Cavalera (fundador da banda de metal Sepultura), Kid Vinil e Ian McCulloch (vocalista da banda inglesa Echo & the Bunnymen). Vale conferir!

Lado B de São Paulo

São Paulo tem tantas atrações famosas que vale a pena conferir algumas menos conhecidas — mas, nem por isso, menos imperdíveis. Confira!

Passeio noturno no zoológico

Todo mundo já foi ao zoológico, não é mesmo? Mas quantos podem dizer que já fizeram esse passeio à noite? Se você achou um pouco estranho, saiba que é uma opção que pode encantar adultos e crianças.

A ideia de fazer um passeio no fim do dia é poder observar os animais que têm hábitos noturnos. A Fundação Parque Zoológico de São Paulo oferece a atração a cada 15 dias, e a atividade dura três horas.

A visita é guiada, e você pode aprender sobre os animais, entrar em locais reservados apenas aos funcionários durante o dia e, claro, ver de perto os bichos em seu habitat, tais como hipopótamos, tigres, tigres brancos, onças, leões, tamanduás-bandeira, entre outros.

Casa da Xiclet

Conforme você viu ao longo do guia, entre os lugares para visitar em São Paulo estão grandes e conhecidos centros culturais, como museus e teatros. Mas há também espaços alternativos imperdíveis, como a Casa da Xiclet.

Trata-se de um coletivo independente, que sedia exposições, oficinas, cursos, shows, projeções de filmes, jogos e festas. A galeria, que fica numa casa simples, preza por uma visão diferente da arte e da relação das pessoas com as obras. Há uma grande variedade de artistas em exposição a cada mês.

Alguns dos slogans da Casa da Xiclet são “Não é underground, é playground!” e “Não é ponto de cultura, é ponto de interrogação”. Aproveite essa maneira alternativa de experimentar a arte!

Central Caos

Já pensou que uma loja de antiguidades pode ser também local de balada? Pois a Central Caos é justamente isso: um bar-antiquário! Espaço conhecido no circuito alternativo de São Paulo, a antiga Caos se mudou da Rua Augusta para o bairro Santa Cecília sem perder o charme.

Das 11 às 18h, a Central Caos funciona como loja, e você pode comprar diversas antiguidades. A partir das 18h, é hora da curtição: o bar abre, a música começa e é o momento de aproveitar a bela decoração kitsch do local — com placas de neon, relógios, brinquedos, quadros e muito mais.

Gostou desses lugares para visitar em São Paulo? Com este guia definitivo, planeje seu passeio, faça as malas e se prepare para diversas experiências que podem mudar a sua vida! A fim de saber muito mais sobre viagens, assine a nossa newsletter!

Comentários

Deixe um Comentário