Viajar barato: saiba como economizar nas suas férias

Quem vai sair de férias pensa logo para onde vai viajar, não é mesmo? A liberdade de rodar mundo afora leva os sonhadores a encarar qualquer esforço por esse objetivo. Contudo, apesar da vontade de partir logo numa aventura, a viagem tem que ser viável dentro das suas possibilidades.

Um dos requisitos mais importantes para embarcar em qualquer jornada é o fator financeiro. Afinal, todo mundo precisa se deslocar, comer, dormir e se divertir durante uma viagem. Isso sem contar as taxas de documentação, seguros e outros tantos custos que podem aparecer. Tudo isso demanda uma boa provisão de dinheiro.

Embora o gasto elevado que toda aventura requer, a bagagem cultural que uma viagem rende fica gravada na memória para o resto da vida e você só tem a ganhar com essa experiência.

Não importa se as suas férias serão no Brasil ou no exterior, existem maneiras de economizar bastante seguindo algumas sugestões bem simples. Está querendo viajar barato? Siga na leitura e veja como fazer o seu dinheiro render numa viagem!

Organize-se financeiramente para viajar barato

Não importa o destino que você escolher, toda jornada exigirá um custo. Portanto, ao decidir sair de férias é necessário ter uma boa organização financeira para a viagem. Afinal, quem conta com um orçamento apertado precisa pensar bem cada passo que dará na aventura ou vai se arriscar a cair em algumas “armadilhas” e passar por perrengues que muitos turistas enfrentam.

A quantidade de dinheiro que você terá disponível influi até na escolha do destino da viagem. A equação é bem simples: quanto mais longe você quer ir, mais recursos vai ter que gastar.

No entanto, é possível espremer o orçamento a fim de que ele proporcione mais conforto e segurança para a suas férias. Sendo assim, a primeira tarefa é definir quanto capital você poderá contar para a viagem.

Para quem tem as férias em datas fixas, como 30 dias de folga uma vez por ano, é indicado começar o planejamento 12 meses antes da nova viagem.

Com tempo de sobra, fica mais fácil estabelecer objetivos em curto, médio e longo prazo, como quanto dinheiro deve ser poupado por mês, os trâmites burocráticos com documentações e vistos, se for o caso, e a tranquilidade para escolher passagens e hospedagens com o melhor custo-benefício.

Caso você não tenha a certeza de quando vai poder tirar as férias com toda essa antecedência, o recomendado é, no mínimo, iniciar os trâmites da jornada de quatro a seis meses antes da data de embarque.

Para começar a montar o orçamento, faça pesquisas prévias a fim de ter uma ideia de quanto custaria uma determinada viagem. Consulte sites de empresas aéreas para conhecer os preços de passagens, qual é o período mais barato para embarcar, qual é a rota mais indicada e quanto tempo seria gasto com o transporte.

É aconselhável fazer várias simulações, variando as datas e os horários de partida e retorno, pois as tarifas podem variar muito por detalhes.

Depois, utilize ferramentas online, como o site Quanto Custa Viajar, que fornece médias de gasto por dia em milhares de destino no mundo. Com essa ajuda, você pode ter uma base de quanto vai gastar em hospedagem, alimentação, entretenimento e transporte (não incluso as passagens aéreas) naquele local.

Por exemplo: um dia de passeio em Buenos Aires, na Argentina, custa em média cerca de R$ 104. Já na cidade de Orlando, nos Estados Unidos, não é possível gastar menos do que R$ 531 por pessoa. Claro que as condições, como o tipo de hospedagem, a variedade dos passeios e a categoria dos restaurantes que a pessoa vai comer, influem nos preços, para mais alto ou para mais baixo.

Com esses valores médios em mãos, calcule a quantidade de dias que pretende ficar no destino, o número de pessoas que vão viajar e qual será o custo com as passagens. O resultado dessa soma será o valor estimado para cumprir o roteiro de férias.

Quando você tiver um valor estabelecido para as necessidades das suas férias, começa o processo de poupar os recursos para colocar o plano em prática. Entretanto, quem quer viajar barato pode fazer esse orçamento render muito mais. A seguir vamos falar sobre as maneiras de conseguir uma boa economia em sua aventura.

Pesquise por melhores preços de passagens aéreas

Após definir os valores que você terá à disposição para as férias, começa a tarefa de encontrar as passagens aéreas. Esse passo pode ser um dos mais trabalhosos, pois não existem muitas saídas além de pesquisar muito.

As variáveis da composição do preço de passagens aéreas são inúmeros, sendo assim, o passageiro deve ter bastante paciência para encontrar as melhores oportunidades. Alguns dos fatores que definem o valor dos trechos aéreos são:

Dia e hora do voo

A data escolhida para viajar pode significar uma grande economia, mas também pode ter um enorme custo. Dias que antecedem feriados e finais de semana costumam ter as passagens mais caras, assim como as épocas de férias (alta temporada) ou de grandes eventos na cidade de destino.

Já as passagens mais baratas estão disponíveis em épocas de baixa temporada e em dias durante a semana. Os voos noturnos podem ter bons descontos nas tarifas.

Destino escolhido

Enquanto alguns locais têm muitos voos disponíveis diariamente, o que tende a baixar o valor do bilhete, outros destinos recebem apenas um ou dois voos por semana.

Quanto mais procura o destino tiver e menos opções de voos oferecer, maior será o preço final da passagem.

Promoções relâmpago

Quem busca por passagens mais baratas deve ficar atento às promoções relâmpago das companhias aéreas. Não existe uma data específica para esses descontos surgirem, por isso iniciar a procura dos bilhetes com antecedência abre espaço para encontrar bons preços e facilidades no pagamento.

Antes de datas comemorativas, como o Dia dos Pais e das Mães, o Natal e o Ano Novo, por exemplo, são os períodos que podem aparecer ótimas oportunidades para quem quer viajar barato.

Trajeto

Cada destino tem os seus convenientes e inconvenientes. Os locais em que existe um aeroporto capaz de receber aeronaves maiores tendem a ser mais baratos para viajar.

Algumas vezes os voos diretos saem mais em conta, mas dependendo da origem e do destino, fazer escalas e conexões pode deixar a tarifa mais barata ou muito mais cara. Tudo é questão de procurar bastante e analisar os diversos cenários possíveis.

Cotação do dólar

Como muitos itens que envolvem a operação das aeronaves têm o seu custo atrelado ao dólar, como peças e combustível, a variação do preço das passagens flutua conforme o valor da moeda americana, mesmo em voos domésticos.

Então, nas semanas em que a cotação do dólar está em alta, os valores dos bilhetes tendem a subir também. O mesmo ocorre nos períodos de menor valor da moeda, quando as passagens ficam mais baratas.

Como dito antes, as variáveis na composição dos preços das passagens aéreas são muitas. Para ter certeza de que você está fazendo o melhor negócio, o indicado é gastar boas horas pesquisando todas as opções disponíveis.

Use milhas do cartão de crédito

Uma outra maneira de viajar barato é usando as milhas acumuladas em compras com o seu cartão de crédito. Todas as empresas de crédito oferecem programas que convertem o dinheiro gasto em pontos.

Esses pontos são convertidos em milhas, que depois podem ser usadas para comprar passagens aéreas ou negociadas com pessoas que querem adquirir milhas, por intermédio de empresas especializadas — uma ótima forma de garantir uma renda extra.

Alguns cartões pagam mais de 1 milha por cada ponto conquistado. As categorias Platinum, Black e Infinite têm as melhores taxas de conversão, podendo multiplicar até 2,5 vezes o número de pontos acumulados em cada operação.

Contudo, esses produtos têm anuidades mais caras, então é necessário escolher um plano que se encaixe nas suas possibilidades. Também é interessante verificar com quais companhias aéreas o seu cartão tem parceria, já que você precisa ser cadastrado em um programa de milhagem para transferir os seus pontos.

Programas de milhagem das empresas aéreas

As quatro maiores empresas aéreas do Brasil têm os seus programas de acúmulo de milhas, em que o cliente pode trocar os pontos do cartão por créditos em milhas.

Em geral, as milhas têm validade de 2 anos, mas cada empresa tem as suas regras e pode estender ou reduzir esse período. Os cartões de crédito ligados aos programas de milhagem costumam pagar mais pontos relacionados aos gastos, que depois podem ser convertidos em milhas e usadas para adquirir passagens aéreas.

Estes são os programas de milhagem das maiores empresas aéreas do país:

Pesquise por hotéis e outras hospedagens

Assim como na compra das passagens, reservar uma boa hospedagem em um destino turístico requer muita pesquisa. Use os portais que reúnem hotéis, hostels e apartamentos para alugar no mundo todo — veja a lista mais abaixo.

Aqui, o que manda no valor da estadia varia conforme a temporada alta ou baixa do local escolhido para as férias.

Por exemplo: na época mais fria no hemisfério norte (outubro a abril) dá para fazer uma viagem internacional barata para a Europa, em comparação ao verão, que é a alta estação. No Brasil, os preços de hospedagem no Nordeste costumam ser mais em conta entre março e setembro, quando é o período de chuvas e de frio. Já entre outubro e fevereiro, devido à grande procura, os valores tendem a ser inflados.

Vale estender a pesquisa por mais tempo, como dois a quatro meses antes do embarque. Muitas vezes aparecem promoções com descontos maiores para quem ficar no local por mais dias. Também são oferecidas gratuidade em taxas e parcelamento em mais vezes no cartão de crédito.

Quando você faz uma pesquisa por vários dias, começa a reparar que as mesmas hospedagens têm variações nos valores cobrados. Então, o negócio é ficar alerta às oportunidades que podem aparecer.

Muitos desses sites de reserva não cobram taxas caso a estadia seja cancelada com antecedência. Sabendo disso, você pode escolher um local para ficar, mas continuar a procurar melhores opções. É arriscado deixar para fazer a reserva de um quarto apenas alguns dias antes de chegar ao destino, mas nesses períodos costumam aparecer grandes oportunidades. Fique sempre de olho para conseguir viajar barato.

Portais de reservas de hospedagem mais conhecidos na internet

Opte por pacotes de viagem

Para quem quer viajar barato com crianças, idosos ou com toda a família, consultar pacotes de viagem pode significar bons descontos nas férias.

Em acordos com as companhias aéreas e as redes de hotéis ao redor do mundo, as operadoras de turismo têm acesso a preços muito atrativos para quem viaja em grupo. Essas tarifas também são diferentes das encontradas nos sites de reservas ou até mesmo diretamente com as empresas aéreas e os hotéis.

Além de fatores financeiros, contratar um pacote com uma agência traz ao cliente uma série de comodidades. As equipes dos operadores de turismo são especializadas em viagens, então, eles vão organizar toda a sua jornada nos mínimos detalhes, desde a documentação necessária para o embarque até as estadias no destino escolhido.

Para quem não é muito familiarizado com a organização de roteiros de viagem ou tem dificuldades com línguas estrangeiras, em caso de destinos fora do Brasil, o auxílio de uma empresa especializada evita muitas dores de cabeça.

Outra facilidade de contar com um pacote de viagem é que, em geral, os custos de traslados e passeios já estão inclusos nos preços. Existem também as opções conhecidas com “All Inclusive”, quando todas as despesas de passagens, hospedagem, atividades, refeições e bebidas são cobrados em um valor único. O cliente embarca para a viagem sabendo exatamente quanto vai gastar, necessitando de dinheiro apenas para gastos extras, como para comprar lembranças e presentes.

Algumas opções de pacotes também incluem seguros de viagem, que ajudam muito em situações de emergências médicas, por exemplo. Muitas vezes, dependendo do destino e do número de pessoas que vão embarcar, as agências oferecem, sem custos, os serviços de despachantes especializados em trâmites burocráticos, como vistos, autorizações e documentações necessárias para partir numa jornada de férias.

Tenha cuidado com o câmbio em viagens internacionais

Para quem pretende viajar barato para um destino fora do Brasil, uma das maiores preocupações tem que ser o câmbio da moeda local. Trocar dinheiro pode gerar muitos prejuízos, já que cada lugar tem as suas peculiaridades, deixando mais caro ou mais barato fazer esse tipo de transação.

Caso você pretenda levar dólares ou euros para trocar pela moeda local, evite fazer esse câmbio em aeroportos e estações de trem, que têm as piores cotações para dinheiro estrangeiro. Não havendo outra saída, como a necessidade de pagar um táxi ou fazer uma refeição, troque apenas o que precisar naquele momento.

Os melhores pontos de câmbio estão espalhados pelas cidades, e muitos deles têm cotações honestas e, às vezes, não têm taxas. Fique atento a esse tipo de cobrança, já que algumas casas podem esconder a informação que cobram altas tarifas, fazendo você gastar recursos sem necessidade.

Outra armadilha que pode aumentar os custos de uma viagem de férias é o uso do cartão de crédito em terras estrangeiras. As cobranças virão na fatura em dólares e a empresa vai usar a cotação do dia do fechamento da conta para definir quanto cobrará em reais por aquelas compras.

Como no Brasil a cotação do dólar varia muito, uma compra pode sair mais cara do que o esperado de um dia para o outro. Evite surpresas desagradáveis e procure não abusar do cartão de crédito em destinos internacionais.

Uma boa saída é utilizar um Travel Check, um serviço oferecido por todos os bancos e que trazem segurança e tranquilidade aos viajantes, já que evita o transporte de grandes somas em dinheiro.

Funciona assim: o interessado vai até uma agência do banco em que tem conta e solicita um cheque de viagem. O funcionário vai fornecer um cartão, que pode ser carregado em dólares ou euros. De posse desse Travel Check, o cliente consegue sacar em milhares de caixas eletrônicos mundo afora os recursos em moeda local, sem a cobrança de altas taxas e com o câmbio praticado no mercado.

Outra facilidade que os cheques de viagem proporcionam é o fato de eles poderem ser recarregados a qualquer momento pela internet. Além disso, em caso de roubo, furto ou extravio do cartão é possível fazer o bloqueio dos valores.

Fique de olho no tamanho da bagagem

Com as recentes mudanças nas regras de cobrança para despachar bagagens, o passageiro que quer poupar dinheiro não pode se descuidar do peso das suas malas.

Cada empresa é livre para cobrar quanto e quando quiser para carregar volumes no compartimento de cargas. Para viagens nacionais, a regra do mercado tem sido taxar cada bagagem até 23 kg que é despachada. Quando o peso for superior a esse limite, as companhias cobram pelo excesso. Isso pode gerar custos não esperados nas férias.

Uma dica de ouro para economizar com a bagagem é levar apenas uma mala de mão, que é permitida na cabine do avião sem nenhuma cobrança. A desvantagem é que o peso dessa bagagem de mão não pode passar de 10 kg e o tamanho da soma entre sua altura, largura e profundidade não deve passar de 115 cm.

Por exemplo: quem quer viajar barato para o Nordeste pode levar apenas uma mala de mão, com roupa suficiente para uma semana, e escapar das tarifas salgadas. Caso precise de roupas limpas, toda cidade turística oferece serviços de lavanderia. Muitas vezes o custo pode estar incluso na diária do hotel ou até mesmo existirem equipamentos de lavar no apartamento/hostel em que o viajante vai ficar.

Um alerta: por razões de segurança é proibido levar na cabine, dentro da bagagem de mão, grandes quantidade de líquidos (como produtos de higiene pessoal), bebidas e alimentos. Itens como shampoo, perfume, creme, loções, enxaguante de lentes de contato e protetor solar devem estar acondicionados em embalagens transparentes de até 100 ml. Esses frascos devem estar todos juntos em um saco plástico transparente.

Quem é associado ao programa de milhagem da empresa aérea na qual vai voar, dependendo da categoria do plano, pode ter gratuidade na franquia de bagagem. Consulte no site da companhia sobre essa possibilidade.

Compre ingressos antes de viajar

Para as suas férias saírem mais em conta, mas sem perder o melhor do destino escolhido, uma boa medida a tomar é comprar os ingressos de atrações com antecedência pela internet.

Muitos lugares turísticos têm bons descontos para quem compra pacotes de ingressos antes da visita. Além de garantir a sua entrada pagando mais barato, esses bilhetes comprados online dão direito a cortar filas, que nas atrações turísticas mais disputadas sempre são bem grandes.

Como diz o velho ditado: tempo é dinheiro. Quem quer viajar barato tem que se pegar nesses detalhes, que garantem economia de recursos e de tempo.

Por exemplo: quem vai de férias para Berlim, na Alemanha, provavelmente vai querer conhecer os museus da cidade, que estão entre os melhores do mundo. O problema é que a capital alemã tem mais de 100 instituições desse tipo. Uma boa saída é comprar o Museum Pass Berlin, que por três dias dá o direito de entrar em mais de 30 museus e exposições na cidade.

Use a tecnologia ao seu favor, procurando por aplicativos de celular que ajudam a organizar jornadas, fazer conversões de moedas e buscar as melhores atrações em cada destino.

Outra dica bacana é baixar no seu smartphone os mapas das cidades que vai visitar. O Google disponibiliza gratuitamente essa facilidade, que depois pode ser usada offline, sem a necessidade de o aparelho estar conectado à internet.

Viu só como existem diversas maneiras de viajar barato? Basta ser organizado e pesquisar bastante para tirar qualquer viagem do papel!

Quer saber mais sobre como economizar em viagens? Dê uma olhada neste outro material que preparamos e aprenda como conseguir cupons de descontos para passagens aéreas. Vamos lá!

Comentários

Deixe um Comentário