Viagem para o Chile: descubra tudo o que você sempre quis saber!

Quer fazer uma viagem para o Chile, o país mais desenvolvido da nossa região? Saiba aqui o que há para aproveitar na terra do poeta Pablo Neruda!

País com a melhor qualidade de vida da América Latina, o Chile é uma nação moderna e vibrante, mas que não perde o contato com a sua cultura secular e muito rica. Depois de sua redemocratização, no início dos anos 1990, o país se transformou em um destino turístico completo e que atrai pessoas de todo o mundo.

Seu território é bastante extenso de norte ao sul e oferece aos visitantes muitas opções de passeios, seja na praia, na montanha, no deserto, em vulcões ou geleiras eternas. A agitada Santiago, a capital do Chile, tem um enorme polo cultural, que se dedica a promover as artes chilenas, contemplando desde o período pré-colombiano até a atualidade.

Em franco desenvolvimento econômico e social, o país tem ótima infraestrutura, que proporciona ao turista muita facilidade de deslocamento entre as atrações disponíveis.

Está a fim de fazer uma viagem para o Chile? Neste guia, você encontra as melhores sugestões para aproveitar ao máximo o país andino!

Como comprar passagem barata para o Chile?

O Chile é um destino turístico procurado o ano todo, pois as características variadas de suas atrações levam visitantes ao país em busca de aventuras no gelo e no deserto, praias paradisíacas, lagos de águas cristalinas e vulcões em constante erupção.

O país tem duas altas temporadas: o verão e o inverno. Durante a estação mais quente do ano (dezembro a março), os visitantes buscam o extenso litoral chileno, a região dos lagos (sul) e o deserto do Atacama.

Já na época do inverno (junho a setembro), as estações de esqui na Cordilheira dos Andes ficam lotadas de famílias brasileiras, que buscam diversão e esportes radicais na neve.

Sendo assim, o viajante interessado em fazer uma visita ao Chile gastando pouco deve começar a procurar por passagens aéreas com bastante antecedência. Como os valores dos bilhetes variam todos os dias, o turista deve ficar atento aos sites das empresas aéreas em busca dos melhores negócios.

Uma sugestão de ouro é seguir as empresas nas redes sociais, pois é comum que as passagens aéreas promocionais para o Chile sejam divulgadas nesses canais de comunicação. Com bastante pesquisa e muitas informações sobre os voos disponíveis, a possibilidade de conseguir os tíquetes mais em conta é bem grande.

Compre passagens com milhas

A maneira mais fácil e barata de fazer uma viagem para o Chile é comprar as passagens com milhas, que são pontos acumulados quando você voa por uma companhia aérea.

Para juntar esses créditos, o cliente deve ser cadastrado no programa de milhagem da empresa e informar o seu número de sócio antes ou logo depois voo. Cada companhia tem o seu plano de milhas e as regras devem ser consultadas no momento da inscrição.

Quando o passageiro adquire um determinado número de pontos, pode trocar por bilhetes aéreos para qualquer lugar do mundo. Em geral, as milhas têm validade de 2 a 3 anos. As principais bandeiras de cartão de crédito têm programas que transformam os seus gastos em pontos, que depois podem ser convertidos em milhas aéreas.

Os cartões do tipo “Black”, “Platinum” e “Gold” costumam ser os que oferecem uma taxa maior de conversão. Por exemplo: a cada R$ 100 gastos, a operadora paga de duas a três vezes em pontos.

As taxas de anuidade dessa modalidade de cartão de crédito são mais altas, então, você deve estudar com atenção os benefícios e custos de cada programa e escolher um produto que caiba na sua realidade financeira.

Hoje em dia, uma ótima maneira de comprar passagens baratas é usando os serviços de empresas que negociam milhas. Os bilhetes são emitidos com milhas, porém, a compra é efetuada com dinheiro. Os descontos nos bilhetes podem passar de 50% do valor.

Os clientes também podem vender os seus créditos disponíveis nos programas de milhagem e até conseguir uma renda extra.

O que levar na mala na viagem para o Chile?

Devido à sua grande extensão territorial, o Chile tem um clima que varia a cada região e época do ano. Para pensar numa mala para curtir alguns dias de férias por lá, é necessário ter uma previsão do tempo.

Roupas para o verão

Durante o verão, de norte ao sul do país, o calor pode passar dos 30 graus durante o dia. As noites são agradáveis, com temperaturas acima dos 20 graus. Mesmo assim, em algumas madrugadas, pode fazer um pouco de frio, principalmente mais ao sul e nas áreas de deserto, então, é sempre aconselhável levar um casaco leve.

A aposta certa na época mais quente do ano são roupas leves, tênis e sapatos confortáveis. Como não chove muito nessa região do Chile, os dias são de céu azul e muito sol. Recomendamos levar um chapéu ou algo que cubra a cabeça. O uso do protetor solar com fator alto de defesa é indispensável.

Caso a intenção do visitante seja aproveitar as lindas praias do país, é sempre bom levar uma toalha para depois do banho de mar. O Oceano Pacífico é maravilhoso, de uma cor azul intensa, porém, suas águas são muito geladas.

Roupas para o inverno

Já durante o período mais frio do ano, as temperaturas do Chile vão para baixo. É comum haver diversos dias seguidos na casa entre 5 e 10 graus, até com a presença de chuva e neve. Mais ao sul, na região dos lagos, a situação pode ser ainda mais gelada, com os termômetros marcando abaixo de zero.

Sendo assim, a mala para uma viagem para o Chile no inverno deve conter casacos forrados e impermeáveis, calças, meias, luvas, toucas e cachecóis.

Para quem for se aventurar na neve, nas estações de esqui ou nas geleiras, a recomendação é usar botar especiais para esse tipo de terreno. Ficar com os pés molhados no gelo não é agradável, além de ser perigoso para a saúde.

As atrações turísticas na neve costumam alugar o equipamento completo para práticas como esqui e snowboard. Como se tratam de materiais pesados, o custo com o excesso de bagagem pode ficar maior do que o aluguel. Procure com antecedência as empresas que vendem esses passeios e saiba se vale a pena levar o seu próprio equipamento.

Limites de peso das bagagens

Com as recentes mudanças nas regras de cobrança para despachar as malas, os passageiros devem ficar atentos aos limites de peso e os valores definidos por cada companhia aérea.

Em geral, cada viajante pode levar de forma gratuita uma mala de mão com até 10 kg e, no máximo, 55 cm de altura. Por razões de segurança, esse tipo de bagagem levada na cabine não pode conter produtos líquidos com volume superior a 100 ml.

Itens como shampoo, cremes, condicionadores, sabonetes líquidos, loções e afins devem estar acondicionados em embalagens transparentes. Caso algum desses produtos não esteja de acordo com as normas de cada país, as autoridades aeroportuárias podem reter e descartar o objeto.

As malas despachadas — aquelas que viajam no compartimento de cargas — devem ter até 23 kg. Cada empresa aérea trabalha de uma forma, então, os custos de envio da bagagem podem ou não estar no valor da passagem. Fique atento no momento de reservar os bilhetes para não ter surpresas desagradáveis na hora do embarque.

Algumas companhias vendem as franquias de bagagem a ser despachada em seus sites. Os valores cobrados costumam ter descontos para compras antecipadas pela internet, contudo, o preço pode ser maior se o cliente só adquirir a franquia no balcão da empresa, já no check-in do voo.

Clientes de determinadas categorias dos programas de milhagem podem ter benefícios adicionais, como isenção para despachar mais volumes em viagens nacionais e internacionais. Consulte o regulamento do seu plano de milhas e aproveite essas facilidades.

Onde ficar no Chile?

Como o Chile tornou-se um dos destinos prediletos no mundo do turismo, a sua infraestrutura se desenvolveu no mesmo ritmo em que os visitantes chegavam ao país. A sua rede hoteleira oferece acomodações de todos os níveis, das mais luxuosas e bem localizadas até as mais funcionais e com preços razoáveis.

Os resorts de inverno nas montanhas colocam os turistas em contato direto com a Cordilheira dos Andes, enquanto os hotéis à beira-mar encantam os hóspedes com vistas maravilhosas do Pacífico.

Nas áreas mais extremas do país, no Atacama, ao norte, ou na região dos lagos, ao sul, o turismo é uma das principais fontes de renda, e conta com pousadas aconchegantes e de serviços caprichados.

Uma busca nos principais sites de reservas vai mostrar que uma viagem para o Chile oferecerá uma gama enorme de opções de hospedagem. Com bastante pesquisa, qualquer pessoa pode encontrar uma acomodação que fará da sua visita um momento inesquecível.

Alugue casas e apartamentos

Uma maneira boa de economizar durante a sua viagem é ficar hospedado em casas e apartamentos privados. Existem diversos sites, como o Airbnb e o Couchsurfingonde os proprietários colocam seus imóveis à disposição por períodos determinados.

Esse tipo de experiência dá ao visitante a sensação de viver como um local, além de, muitas vezes, as casas e apartamentos terem equipamentos de utilidade doméstica, como máquina de lavar, fogão, forno micro-ondas e geladeira.

As principais empresas desse ramo garantem a sua reserva, fazem as cobranças e servem de plataforma de comunicação entre os clientes e os proprietários dos imóveis. Por segurança, a recomendação que fica é de sempre fazer as transações referentes ao aluguel somente pelo site escolhido.

Quais lugares visitar no Chile?

Como mencionamos, uma viagem para o Chile deve ser muito bem estudada, pois a grande quantidade de atrações oferece uma centena de possibilidades ao turista, além da grande extensão territorial do país.

Quando alguém está escolhendo um destino no Chile, deve levar em consideração quais são as suas expectativas em relação a essa aventura. A seguir, vamos mostrar algumas sugestões de lugares para conhecer no país, quais são os seus atrativos e qual a melhor época para fazer uma visita.

O que fazer na região metropolitana de Santiago

Capital do Chile, Santiago é uma cidade grande, moderna, segura e desenvolvida. Diferente de outras metrópoles da América Latina, nela, o planejamento urbano segue o mesmo padrão de expansão, com ruas organizadas com avenidas que a cortam de lado a lado.

Na cidade, existem muitos parques e praças bastante arborizados, que servem de ponto de encontro dos chilenos ao fim do dia e aos finais de semana. É comum ver as pessoas fazendo aulas de yoga ou de música ao ar livre.

Os pontos turísticos de Santiago estão espalhados pela cidade, mas o deslocamento é bem simples utilizando o transporte público, principalmente o metrô, que tem 118 km de extensão. Como o trânsito pode ser um problema nas ruas da capital chilena, a sugestão é dar preferência ao transporte coletivo.

Museus e centros culturais

A vida cultural de Santiago é muito ativa e tem manifestações por toda a cidade. Os museus públicos, em geral, são gratuitos.

Um dos destaques é o Museu Nacional de Bellas Artes, que fica instalado no Parque Florestal em um imponente edifício de estilo neoclássico com toques de art nouveau. O acervo da instituição inclui obras de artistas chilenos e internacionais, como pinturas, esculturas, tapeçarias, fotografias e instalações interativas.

Na região da Alameda, a principal avenida da capital do Chile, existem dois espaços de cultura que merecem uma visita: o Centro Cultural Gabriela Mistral, em homenagem à grande escritora chilena vencedora do Prêmio Nobel de Literatura, e o Museu Violeta Parra, que conta a história da cantora, compositora e pintora de origem indígena.

Diversão, comida e bebida

A cidade conta com uma enorme rede de restaurantes, cafés, bares, sorveterias e docerias para todos os gostos e bolsos. As especialidades da culinária local são os frutos do mar, as carnes, as massas, as sopas e os cozidos.

Os bairros mais centrais, como Lastarria e Bellavista, concentram grande parte das opções para fazer uma boa refeição e curtir a noite da cidade. Por ali, também estão algumas baladas e bares da moda, onde a última tendência são as cervejas artesanais de fabricação chilena.

Uma tradição do centro de Santiago são as simpáticas lanchonetes que oferecem cachorro-quente, preparados à moda chilena, claro: com pasta de abacate levemente temperada, vinagrete, ketchup, maionese e mostarda. Uma delícia prática e com preço camarada!

Entre as sobremesas, vale a pena experimentar o refrescante mote com huesillos, que é uma bebida gelada com grãos de trigo mote e pêssegos desidratados. Um visitante mais atento vai perceber que a iguaria é vendida por toda a parte.

Parques e praças

As áreas verdes atraem muitos visitantes nos dias mais quentes do ano. As pessoas praticam esportes, passeiam com seus cachorros, fazem piqueniques, andam de bike ou apenas se sentam para tomar um sorvete.

Cerro San Cristobal, a parte mais alta da cidade, tem acesso ao seu cume por meio de um funicular bem simpático, que passa pela estação onde existe um zoológico e vai até o topo da montanha, onde se encontra o santuário da Imaculada Conceição.

Um novo teleférico foi instalado na cadeia de morros da região, levando os turistas por um incrível passeio pelo Parque Metropolitano, uma atração indispensável numa viagem para Santiago (o trajeto sai em torno de 3 mil pesos por pessoa).

O Cerro também pode ser acessado por estrada de carro. Os mais dispostos sobem de bicicleta as ladeiras até o topo da montanha, que tem uma das mais belas vistas de Santiago e da Cordilheira dos Andes.

Vinícolas

O Chile é conhecido pela sua ótima produção de vinhos, que são exportados e apreciados em todos os cantos do mundo. Um dos passeios mais procurados por brasileiros que fazem uma viagem para o Chile é visitar uma das vinícolas existentes no país.

Em Santiago, as empresas estão localizadas nos arredores da cidade e oferecem tours guiados diariamente, em que os turistas podem conhecer o processo de fabricação dos vinhos, os campos de cultivo da uva e os locais de armazenagem da bebida.

Para muitos, a melhor parte da atração é a hora em que os visitantes são convidados a experimentar as variedades de vinhos de cada produtor e até comprar algumas garrafas para trazer para o Brasil. As principais vinícolas próximas a Santiago e que oferecem passeios são:

Onde praticar esportes de inverno

Durante o período do inverno, o Chile é um dos destinos preferidos dos amantes dos esportes na neve. A Cordilheira dos Andes tem muitas estações de esqui, onde os visitantes brasileiros podem aproveitar as montanhas por um dia ou até períodos maiores de estadia.

Algumas dessas estações estão localizadas a poucos quilômetros de Santiago, com acesso fácil de carro ou ônibus de turismo. Os centros de esqui oferecem aulas de esportes na neve para iniciantes, que podem praticar em suas pistas, preparadas para todos os níveis de prática.

Mesmo durante o verão, época em que a neve não dá as caras nas montanhas, os centros de esqui têm programações para aproveitar o melhor dos Andes. Confira o que cada local oferece e divirta-se.

Estas são as estações de inverno mais populares entre os turistas que fazem uma viagem para o Chile:

As melhores praias do Chile

O extenso litoral do Chile guarda praias paradisíacas de norte a sul do país, porém, as temperaturas mais altas e agradáveis para um banho de mar estão a partir da região central, sentido ao Deserto do Atacama.

Além das paisagens de tirar o fôlego, a costa chilena é rica culturalmente e tem uma culinária apetitosa. Uma sugestão que não pode faltar no seu roteiro é parar num dos restaurantes à beira-mar e aproveitar os deliciosos pratos típicos. Conheça as praias mais procuradas pelos turistas que fazem uma viagem para o Chile.

Valparaíso e Viña del Mar

Cidades vizinhas e de grande importância para a economia chilena, as belas Valparaíso e Viña del Mar ficam a apenas 120 km de Santiago. Os dois destinos têm boas praias para curtir, que podem ser acessadas usando o metrô que liga as duas cidades. Contudo, as orlas mais disputadas ficam em Viña del Mar, com destaque para a badalada praia de Reñaca.

Em Valparaíso, vale muito a pena conhecer a parte mais alta da cidade histórica, que tem como características principais as suas ladeiras estreitas e as casas coloridas. Nessa área, fica a La Sebastiana, residência onde Pablo Neruda viveu e que hoje abriga um dos museus em homenagem ao grande poeta chileno.

Isla Negra

Ao sul de Valparaíso, a icônica Isla Negra tem praias de areia branquinha e a água do mar tem tons de azul marcantes. As partes mais altas da região oferecem uma vista esplendorosa do Pacífico.

O maior e mais completo museu sobre Pablo Neruda está localizado em Isla Negra, onde os itens mais valiosos de sua coleção estão expostos. Nesse local, que também foi a casa do ganhador do Prêmio Nobel de Literatura, está enterrado o corpo do poeta.

Uma aventura no deserto

A região norte do Chile é o sonho de consumo de muita gente que quer viajar na América do Sul. Ali, fica o famoso Atacama, o deserto mais seco e alto do mundo, que recebe visitantes de todos os cantos para apreciar sua beleza árida e intrigante.

O turismo é bem desenvolvido e existem diversas opções de passeios, que podem ter desde algumas horas de duração até uma experiência mais completa de vários dias acampando no deserto.

As atrações naturais são os vales com fauna e flora únicas, lagos de águas multicoloridas, vulcões, gêiseres e desertos de sal. Nessa região, os termômetros podem variar de 40 graus durante o dia a temperaturas abaixo de zero na madrugada. As chuvas são eventos raros no Atacama, onde, em determinados lugares, não cai uma gota de água por muitos anos.

Como esse é um território afastado de grandes cidades, observar o céu à noite proporciona um espetáculo que fica na memória para sempre. Não à toa, os melhores telescópios do mundo estão instalados nessa região.

Como aproveitar para conhecer os vulcões e geleiras

A parte mais ao sul do Chile é a área mais rica do país andino. Seus campos verdes e férteis dividem lugar com os rios de águas congelantes, que descem as montanhas com cumes de gelo eterno.

Um passeio imperdível é fazer a jornada de carro pela Carretera Austral, uma estrada que liga o centro do território chileno ao extremo sul da América. As paisagens maravilhosas e os charmosos vilarejos de estilo alemão do caminho valem a aventura.

Um dos maiores atrativos turísticos do sul do país é o magnífico Lago Llanquihue, em Puerto Varas. Com uma área de mais de 870 km quadrados, o lago é habitat de milhares de espécies de animais, flores e plantas, que são encontrados somente ali.

Com o imponente vulcão Osorno ao fundo, os visitantes podem aproveitar as águas do lago para praticar esportes aquáticos, como canoa, windsurf, vela, natação e pesca recreativa.

Viu só como o Chile é um país fácil de conhecer, mas que oferece opções que podem ser desfrutadas em diversas viagens para lá? E o melhor: devido a um acordo entre os países sul-americanos, os brasileiros não precisam de visto de entrada nem passaporte para fazer uma viagem para o Chile. Apresentando o RG na chegada ao país, é concedida uma autorização para permanecer por até 90 dias.

Agora que você já sabe tudo sobre o Chile, dê uma olhada neste outro texto que preparamos. Nele, você vai ficar sabendo como fazer um mochilão pela América Latina gastando pouco. Boa viagem!

Comentários

Deixe um Comentário