5 dicas para escolher um hotel durante uma viagem

costumer ringing bell at hotel counter

Visitas a pontos turísticos, experiências gastronômicas e culturais, novas interações, compras, noitadas (ou relax absoluto), fotos e mais fotos para serem relembradas. A gente concorda que tudo isso influencia e muito na matemática que vai garantir o saldo positivo – ou não – da sua viagem.

Mas há um ponto importante que não deve ser negligenciado: o local em que você vai se hospedar. Afinal, é lá que, entre uma atividade e outra, você recarregará energias, descansará, fará ao menos uma refeição, deixará as malas pesadas que carregou, enfim.

E vamos combinar que, apesar de toda a adrenalina e empolgação de uma viagem, todo turista quer ter abrigo, aconchego e qualidade.

Está planejando um super passeio? Não deixe de acompanhar nosso guia e escolher, sem transtornos, o hotel (resort, pousada, hostel, etc) em que vai ficar.

Analise todos os serviços oferecidos

Cada um tem uma lista de necessidades ou mesmo mimos com que quer contar ao fazer check-in em algum estabelecimento e se hospedar. Portanto, na hora de vasculhar todas as possibilidades hoteleiras do seu destino turístico, tenha em mente o que procura e do que vai precisar.

Gosta de algum luxo como piscinas e saunas? Não deixe de enviar um e-mail para o atendimento do local questionando se estão em pleno funcionamento. Precisa malhar? Pesquise o que oferecem na academia. Precisa de secador de cabelos com frequência? Hotéis com aparelhos como esse no banheiro ajudam inclusive na praticidade para reduzir algo na mala.

Quem vai para o exterior pode checar, ainda, outros pontos, como câmbio de moeda local na própria recepção do hotel – ou serviços parceiros – e até adaptadores de tomadas! Afinal, ninguém quer sofrer com celular sem bateria ou queimar algum aparelho por descuido, não é verdade?

Não deixe de avaliar também serviços como café da manhã, que variam muito no mercado hoteleiro, e conexões com a internet — para os que vivem conectados.

Faça orçamentos e pense em custo-benefício

Não importa o quanto você esteja disposto a pagar por um quarto: a relação custo x benefício é essencial para fechar negócios. Portanto, depois de checar o que cada estabelecimento oferece, é hora de analisar quanto é cobrado por esses serviços e se a taxação é compensativa em comparação a outras opções de mercado. Vale a pena inclusive pechinchar, se for preciso.

Mas atenção: não acredite em ofertas extremamente fáceis e preços muito abaixo dos praticados no setor. Escolher o quarto em que vai ficar na sua viagem não é uma promoção imperdível do Black Friday. Use a razão para analisar as cifras que terá que investir e analise, inclusive, formas de pagamento das diárias.

Leve em conta o roteiro que pretende seguir

A gente sabe que uma das diversões das melhores viagens está em perambular pelo lugar visitado. Mas ninguém quer passar metade do passeio em meios de transporte entre hotel e ponto turístico, certo?

Portanto, rascunhe seu mapa de possíveis visitas durante a viagem e procure locais próximos a eles ou com grande acessibilidade de transporte para reservar um quarto. Pontos de ônibus, táxi, estação de metrô ou até mesmo aluguel de bicicletas nas redondezas devem contar na hora da escolha.

Busque referências

Se quem avisa amigo é, quem faz avaliações de hotéis em sites do setor pode ganhar o status de – no mínimo – um grande viajante camarada.

E acredite: não faltam avaliações de hotéis/pousadas/resorts/hostels na web. Das caixas de comentários nos sites oficiais desses estabelecimentos a páginas em redes sociais, tudo pode ser fonte de pesquisa para colocar na balança os prós e os contras de cada acomodação.

Isso sem falar, é claro, em páginas da web especializadas em testar hotéis de forma colaborativa. É o caso do TripAdvisor, do Hotel Urbano e do AirBNB (voltado a aluguel de espaços mais amplos, como casas completas).

Não se esqueça de detalhes pessoais

É alérgico e sofre com carpetes no quarto? Precisa de um cofre? Todas as necessidades devem ser repassadas no momento de fazer levantamentos para uma possível reserva – inclusive as que envolvem acessibilidade ou qualquer questão ligada ao seu bem-estar.

Não se acanhe em interagir com os representantes do hotel e expor essas demandas pessoais. Afinal, você vai viajar para relaxar. Não para encontrar, longe de casa, velhos problemas. Certo?

E aí, curtiu nossas dicas? Que tal complementar nosso trabalho dividindo com a gente experiências em hotéis, critérios que usa na hora da escolha e, claro, suas dúvidas? Deixe seu comentário e dê uma olhadinha em outros posts!

Comentários

Deixe um Comentário