Guia de lugares para viagem no outono

Já pensou em fazer uma viagem no outono? Pois, então, descubra por que essa estação está em alta e quais são os destinos ideais para conhecer durante essa época do ano.

Quando se trata de escolher uma estação do ano para ir a outra cidade ou mesmo outro país, alguns dizem logo de cara que adoram o verão porque não dispensam a combinação de sol e mar, enquanto outros afirmam que preferem mesmo é o inverno e as temperaturas negativas que vêm com ele. Porém, fazer uma viagem no outono tem surpreendido e despontado cada vez mais como a nova preferência dos viajantes.

Afinal, nem todo mundo é muito chegado em extremos e os contratempos que eles podem provocar, como temperaturas acima dos 40º ou neve interditando ruas e estradas. Várias pessoas, inclusive, sequer gostam de viajar nesses períodos, pois eles são, justamente, a alta temporada e os gastos duplicam facilmente.

Pensando nisso, reunimos uma série de informações para compartilhar com você sobre as vantagens desse período, como se planejar para aproveitá-lo, como escolher os melhores lugares para conhecer e, de quebra, alguns dos destinos imperdíveis que valem a pena entrar no seu roteiro. Acompanhe e já se inspire para planejar a sua próxima viagem!

Como programar uma viagem no outono

Para começar, vamos falar sobre como você deve se organizar quanto à sua viagem no outono. Assim, dá para aproveitar melhor o seu destino e evitar aqueles deslizes bobos que aumentam as suas despesas e, para completar, ainda tiram o seu sossego. Veja só.

Defina o tempo de duração da viagem

É claro que, se dependesse exclusivamente da gente, nossas viagens só teriam data para começar, mas não para terminar, não é mesmo? xD

Contudo, na vida real, há faculdade, trabalho, família e uma série de outras coisas com as quais estamos comprometidos. Por isso, não se esqueça que o jet lag, aquele período de readaptação à rotina e ao fuso horário, afeta boa parte dos viajantes.

Dica: caso você queira viajar para fora do país, mais especificamente o hemisfério norte, e esteja atrás de um clima que agrada a gregos e troianos, pode ser uma boa ideia aproveitar o período por volta de setembro e outubro em vez de novembro e dezembro.

Isso porque, devido à transição do verão para o outono, nesses dois primeiros meses, as temperaturas estão ainda mais prazerosas (entre 15º a 25º) — o que exige menos sobreposições no vestuário — e o sol se põe apenas entre 17h e 19h — logo, dá para aproveitar mais a luz do dia e, consequentemente, fazer mais passeios diurnos.

Planeje não só a ida e a volta, mas todos os seus deslocamentos

Quando se fala em adquirir as passagens para o destino desejado, o mais comum é pensar nos trechos de ida e de volta na hora de planejar a viagem. Contudo, cada vez mais pessoas vão para uma cidade e conhecem não só o próprio local, como também os municípios vizinhos e até alguns países próximos.

Portanto, se planeja fazer o mesmo, pesquise com antecedência todas as alternativas de deslocamento que você tem para encontrar aquelas com melhor custo-benefício em tempo, conforto e preço. Ao viajar pela América do Sul ou a Europa, por exemplo, você tem a opção de aproveitar uma boa quantidade de companhias de trem, de ônibus e de transporte aéreo com serviço low cost.

Cheque os horários dos pontos turísticos

Uma quarta dica importante, mas que muita gente deixa passar, é checar os horários dos pontos turísticos. Afinal, muitas cidades são repletas deles, principalmente no velho continente, mas nem todos funcionam com o mesmo período de visitação.

Para se ter ideia, é muito comum que os locais, em especial os que são ao ar livre, adotem horários específicos de acordo com cada estação do ano.

Por exemplo, o Coliseu de Roma — que é parada obrigatória na capital italiana — tem nada mais, nada menos que três horários distintos apenas no outono, como informa nota no site oficial da atração.

Em setembro, ele abre das 8h30 às 19h. Até o último sábado de outubro, das 8h30 às 18h30. Por fim, a partir do último domingo de outubro, das 8h30 às 16h30. Por isso, vale a pena se informar com antecedência para se programar quando visitar os pontos turísticos, já que ainda há fila para comprar ingressos, para entrar no lugar, passar pelo procedimento de revista etc.

Reserve a hospedagem de maneira inteligente

Na hora de reservar a hospedagem, é natural pensar no conforto e nos benefícios que ela oferece, como Wi-Fi, serviço de lavanderia, café da manhã incluso, recepção 24 horas etc. Afinal, ninguém é de ferro, e depois de um dia inteiro indo de um ponto turístico para o outro, você, certamente, vai querer descansar e ter algumas mordomias! No entanto, fique atento a um aspecto essencial: a localização da hospedagem.

O motivo disso é simples: mesmo que você pague um pouco a mais na diária, vale a pena ficar em um hotel ou um hostel que seja perto do centro histórico da cidade, pois você poderá visitar toda a área turística a pé e, caso precise, pode voltar facilmente ao local onde está hospedado. Na prática, isso significa não só economia de tempo, mas também menos gastos com ônibus, metrô, táxi e Uber.

Organize-se quanto ao câmbio

Já demos várias dicas ao longo desse tópico, mas, sem dúvidas, uma que não pode faltar para quem vai viajar para o exterior é se organizar quanto ao câmbio.

Basta lembrar que, em um momento de altas constantes do euro, da libra esterlina e, em especial, do dólar, é essencial acompanhar diariamente a cotação da moeda do seu destino para identificar a hora certa de comprá-la ou adquirir um cartão pré-pago.

Acerte na quantidade ideal de malas

A quantidade de mala que você deve levar está diretamente relacionada ao tempo que você vai passar viajando. Por exemplo, se são apenas poucos dias, vale a pena ter apenas uma bagagem pequena ou uma mochila backpack — que é o modelo que se popularizou entre os mochileiros.

Por outro lado, se pretende passar semanas viajando, é uma boa ideia contar com uma mala de mão (com dimensões de 55 cm x 35 cm x 25 cm) e uma de porte médio (com dimensões de 78 cm x 50 cm x 32 cm).

Já as bagagens grandes e que chegam a ter 100 cm de altura devem ser evitadas, exceto se você passar meses fora, pois acabam se tornando um empecilho carregá-las para cima e para baixo, principalmente por conta do peso.

Ah, e uma dica importante: se você for visitar mais de um destino e a viagem tiver duração mediana (como 5 países em 14 dias ou 2 países em uma semana), é uma boa considerar ter somente uma mala de mão. Assim, você evita pagar mais em trechos de companhias aéreas low costs, não precisa despachar suas coisas e não precisa esperar sua bagagem na esteira — o que permite poupar um tempo e tanto!

Saiba o que levar na bagagem

“Certo, tudo anotado até aqui! Mas e quanto às roupas? O que devo levar para uma viagem no outono?”, você deve estar se perguntando. Bem, se essa é a sua preocupação, saiba que não há muito mistério!

Isso porque como as temperaturas são amenas nessa estação, não é preciso carregar aqueles casacos pesados e que fazem um grande volume nas malas. Ao contrário, dá para mesclar peças leves com itens mais encorpados e, é claro, apostar nas sobreposições para aproveitar os dias. Por exemplo, vale a pena levar…

  • camisetas básicas;
  • camisas de malha de manga longa;
  • camisas e casacos de moletom;
  • jaqueta jeans ou de couro;
  • cardigan;
  • sobretudo;
  • leggins;
  • calças jeans.

Já em relação aos calçados, pense sempre em aliar conforto e praticidade para caminhar bastante pela cidade sem machucar os pés e, inclusive, estar preparado para áreas molhadas ou com terra, caso vá ao campo ou à serra. Por isso, tênis e botas são sempre ótimas escolhas!

Vantagens de escolher essa estação do ano para viajar

Até aqui, você já viu como programar a sua viagem de outono e todos os detalhes que ela envolve para garantir que sua experiência seja ótima. Porém, você deve estar se questionando sobre quais são, afinal, as vantagens de escolher essa estação no lugar das demais para explorar, como diz o ditado, “esse mundão de meu Deus”, não é verdade? Por isso, acompanha, que a gente conta agora mesmo!

Temperaturas amenas

A primeira vantagem, sem dúvidas, é que as temperaturas são amenas durante o outono e funcionam como um meio-termo entre o calor acentuado do verão e o frio rigoroso do inverno — e não é para menos, já que a estação fica justamente entre ambos.

Ou seja, quem não é muito fã nem de um nem outro encontra nesse período a época perfeita para viajar e não se incomodar com os extremos climáticos. Para você ter uma ideia, nos EUA, no Canadá e nos países da Europa a média é de 10º a 25º durante esses três meses, e a chance de nevar é baixa, sendo mais fácil ocorrer apenas nas últimas semanas.

Natureza com um visual diferente

Quem vive em uma região onde as estações não são muito bem definidas, como boa parte do Brasil, muitas vezes acaba não dando o devido valor a esse período do ano, até mesmo por desconhecer aquilo que caracteriza ele e o torna tão marcante.

Contudo, a verdade é que basta uma oportunidade de estar em um local durante essa temporada para constatar como a natureza fica com um visual diferente e encantador — e não, não é exagero!

Tanto é que destinos conhecidos por terem grandes áreas verdes (parques, vales, florestas etc.), como Nova York, Bento Gonçalves e Campos do Jordão, ganham um ar bucólico e árvores com uma coloração especial — geralmente amarelada e/ou avermelhada — que transformam a cara dessas cidades e as deixam muito mais bonitas e, principalmente, acolhedoras.

Época de colheita

Além do que a gente disse há pouco, o outono é uma época de colheita de inúmeras frutas, como uva, goiaba, maçã, pera, abacate, melancia etc. Portanto, quem escolhe o campo para passear durante essa estação pode ter uma experiência única conhecendo, por exemplo, vinícolas, pomares e plantações.

O motivo é que, na maioria desses lugares, é possível ter contato direto com os produtores locais, que abrem suas terras para visitações e até mesmo a participação dos turistas no colhimento da safra. Já imaginou viver tudo isso por um dia? As histórias que você terá para contar para os seus amigos?

Vale ressaltar ainda que você pode experimentar vários produtos artesanais feitos com essas frutas e acompanhar a fabricação de vinhos. Ou seja, é um programa imperdível!

Baixa estação

Sim, outono é sinônimo de baixa estação, seja no Brasil (20 de março a 21 de junho), seja nos países do hemisfério norte (22 de setembro a 21 de dezembro). Esse é um daqueles detalhes que parece simples, mas que pode fazer toda a diferença para quem gosta de economizar durante as viagens, viu?

A razão disso é que, como o fluxo de turistas ao redor do mundo é menor nessa época, é mais fácil encontrar não só passagens, como também hospedagem por um custo muito menor. E não acaba aí, já que é possível encontrar até mesmo pontos turísticos pagos com descontos na entrada. Portanto, vale a pena se programar para aproveitá-la!

Como escolher os melhores destinos

Depois de ler sobre como programar sua viagem no outono e as vantagens de aproveitar essa estação para conhecer novos lugares, você deve estar se perguntando o que levar em conta na hora de decidir o seu próximo destino, não é verdade? Afinal, não faltam cantos diferentes e com diversas opções de lazer, entretenimento, pontos turísticos etc.

Por essa razão, a nossa dica para quando bater aquela indecisão ferrenha é pensar no tipo de experiência que você deseja ter, seja ela mais voltada para o contato com a natureza, seja ela mais urbana e histórica.

Além disso, não deixe de considerar se você quer explorar o Brasil ou prefere embarcar para uma nação no exterior e, assim, encher o seu passaporte de carimbos.

Por fim, pesquise se a cidade que você vai visitar tem atrações locais durante esse período, como festivais musicais, gastronômicos, folclóricos e afins, pois isso permite aos viajantes conhecerem melhor a história, as tradições e a cultura do município.

Quais os melhores destinos dentro do Brasil

Uma vez explicado como bater o martelo na hora de escolher que lugar visitar, chegou o momento de trazer aquelas dicas marotas de destinos para uma viagem no outono dentro do Brasil. Isso porque não faltam possibilidades com um território tão vasto como o nosso!

Portanto, acompanhe quais são elas e já anote na sua wishlist (lista de desejos, em português). Ah, mas vale avisar: nossas sugestões vão deixá-lo com vontade de arrumar as malas e viajar amanhã mesmo! Veja só.

Campos do Jordão, São Paulo

Campos do Jordão encabeça nossa lista pela diversidade de atrativos. Além da Vila Capivari, que concentra os principais restaurantes e bares do município, há o Parque Estadual Horto Florestal e o pitoresco Morro do Elefante, de onde é possível ter uma vista panorâmica da região.

Mas não acaba aí, já que a cidade do interior de São Paulo mescla a beleza da arquitetura local — que é inspirada nas construções germânicas dos séculos XVI e XVIII — com o charme dos Jardins Amantikir, se tornando um destino romântico perfeito para quem quer aproveitar o clima da estação para comemorar uma data especial a dois.

Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul

Por sua vez, Bento Gonçalves se torna uma excelente opção para entrar no seu roteiro de viagem porque é uma cidade que parou no tempo (mas no bom sentido!).

É que o pequeno município com pouco mais de 100 mil habitantes ainda conserva muito do passado e da influência imigratória italiana no local. Por isso, não só as construções permanecem praticamente intactas, como também os hábitos e as tradições seculares. Para se ter ideia, a região ainda conta com passeios de Maria Fumaça!

Mas se tudo isso não é o bastante, saiba que, no outono, a região fica ainda mais bonita e imponente, já que está localizada próxima ao Vale dos Vinhedos e ao Vale do Rio das Antas. Devido a isso, são comuns as rotas do vinho na serra gaúcha que levam os viajantes não só para participar da colheita e da pisa das uvas, mas também para conhecer produtores locais de queijos, bebidas artesanais, doces etc.

Petrópolis, Rio de Janeiro

Já no Rio de Janeiro, há o município de Petrópolis. A cidade imperial, como é conhecida por conta das construções que datam da fundação do império no Brasil, é de encher os olhos com seus museus (como o Imperial e a Casa de Santos Dumont), palácios (de Cristal, de Quitandinha e do Grão-Pará) e vales (do Amor e das Videiras).

No entanto, o que a torna parada obrigatória no outono é justamente os eventos que ocorrem nesse período e que reúnem tanto moradores locais quanto turistas, como o Festival Sabores de Outono, a Festa do Chocolate, a Bauernfest, o Solstício do Som, a Expo Agropecuária, o Recital anual da Sociedade Artística Villa-Lobos e muito mais.

Aiuruoca, Minas Gerais

O quarto destino brasileiro é Aiuruoca, em Minas Gerais. A pequena cidade, que fica próxima a duas importantes reservas florestais, o Parque Estadual da Serra do Papagaio e o Parque Nacional do Itatiaia, é o local perfeito para quem está atrás de curtir a serra mineira e relaxar em volta da natureza.

Afinal de contas, toda a área fica com um visual mais bucólico, os cenários naturais (como cachoeiras e cânions) se destacam entre a vegetação densa que muda de cor e as temperaturas deixam a região perfeita para quem pensa em se hospedar em pousadas próximas à mata.

Quais os melhores destinos pelo mundo

Há pouco, falamos dos destinos nacionais para quem quer descobrir as maravilhas desse país bonito por natureza, como já cantava Jorge Ben Jor. Porém, não deixamos de fora os internacionais não, viu? Afinal, nada melhor do que poder conhecer outros países, ter contato com culturas diferentes e aperfeiçoar uma segunda língua. Por isso, veja a nossa lista.

Mendoza, Argentina

O primeiro deles é Mendoza, uma província argentina conhecida no mundo todo por ser vitivinícola e pela proximidade com a Cordilheira dos Andes. Ou seja, só por esses detalhes, você já tira como é o visual da região.

Justamente por isso, vale a pena explorar os diversos caminhos do vinho no outono, que vão lhe permitir conhecer vinícolas, adegas industriais, fábricas e os extensos vales onde são cultivadas as vinhas, como o do Uco. Cenários que são arrebatadores e que proporcionam a oportunidade de ter um contato maior (e mais pessoal) com a terra.

Florença, Itália

Já Florença, na Itália, é um lugar que respira História em cada rua e em cada construção. Não é à toa que reúne pontos turísticos seculares e que são referência em toda a Europa, como a Ponte Vecchio, o Palazzo Vecchio, a Galleria Degli Uffizi, a Piazza San Giovanni e a Basilica Di Santa Croce.

Para fechar com chave de ouro, a cidade é localizada em plena Toscana, sendo cercada por campos e vales que garantem paisagens de tirar o fôlego. Do alto da Piazzale Michelangelo, por exemplo, dá para ter uma dimensão do que é essa região e de como a natureza transforma o município de acordo com as estações.

Nova York, Estados Unidos

Nova York é bela e movimentada durante todo o ano, é verdade. Porém, no outono, ganha um ar diferenciado, especialmente por conta da folhagem das árvores do Central Park que se enchem de cores intensas e, quando caem, cobrem todo o chão do coração da cidade como um tapete repleto de simbolismo.

E o mesmo cenário se repete em outras áreas da big apple, como o Brooklyn Botanic Garden, o Flushing Meadows Corona Park e o Riverside Park.

Ah, e caso você escolha a selva de pedra como o seu destino, saiba que pode aproveitar a estação para vivenciar a tradição do Thanksgiving, que acontece na última semana de novembro, e é uma das principais datas comemorativas dos EUA. De quebra, ainda dá para aproveitar a Black Friday, que sempre acontece no dia posterior, e comprar produtos em liquidações reais. Que tal?

Baviera, Alemanha

Outro lugar que não pode faltar na nossa lista é a Baviera, na Alemanha. O motivo? É que essa região conta com diversas vilas medievais com construções intactas para visitação, como a Hohenschwangau. Sim, o nome é estranho e até parece um palavrão, mas a gente garante: o lugar é incrível e parece ter saído direto de uma produção no estilo Game of Thrones!

Tanto é, que há dois castelo nos arredores, o Hohenschwangau Castle e o Neuschwanstein Castle, que recebem turistas diariamente. Para completar, no outono, é possível ter uma visão privilegiada de toda a floresta — além de cercar as duas construções, é responsável por copas de árvores que ganham uma coloração que vai do amarelo e laranja ao roxo e o vermelho.

Viu só como uma viagem no outono pode ser um excelente negócio para ter experiências incríveis, curtir a natureza, conhecer lugares fora de série pelo Brasil e pelo mundo e ainda por cima economizar? Portanto, nada de marcar bobeira, hein? Siga as nossas dicas e se planeje para aproveitar (e muito) essa estação.

Ah, e não deixe de conferir nossas dicas de como aumentar o limite do seu cartão de crédito para usá-lo em viagens ou acumular mais milhas, por exemplo!

Comentários

Deixe um Comentário