Baixa temporada: Saiba quando é e como aproveitar esse período

Está a fim de viajar gastando menos? Fique ligado nessas sugestões para curtir as melhores aventuras na baixa temporada!

Todo mundo ama viajar, isso não é uma novidade. No entanto, mesmo que o desejo de muita gente seja passar a vida conhecendo novos lugares, embarcar numa aventura requer um investimento considerável.

Quando falamos de destinos concorridos, a situação tende a piorar, já que a grande procura faz os preços de passagens aéreas, hospedagens, alimentação e entretenimento subirem bastante na alta temporada.

Contudo, para conhecer os lugares mais cobiçados do mundo, o turista pode aproveitar os períodos de menor fluxo de pessoas. Quer saber como curtir as suas férias sem gastar muito? Neste texto, vamos explicar o que é a baixa temporada, quando ela ocorre e quais são os benefícios e dificuldades de viajar nessa época. Boa leitura!

Quando é considerado baixa temporada?

O período de maior procura de determinados pontos turísticos é quando o local está na alta temporada. Ou seja: naquela época específica, dependendo dos atrativos existentes por lá, o destino recebe o seu maior número de visitantes.

Por exemplo: a região de Bariloche, na Argentina, é famosa por suas estações de esqui, onde os turistas buscam diversão com os esportes na neve. Ocorre que apenas no inverno no hemisfério sul (de junho a setembro) é que o clima fica propício para aproveitar as atrações.

A regra é bem simples: quanto mais gente procura por determinado destino turístico, maiores serão os custos de uma viagem para lá.

Agora, quando a situação se inverte e o lugar está na baixa temporada, quando o fluxo de turistas cai devido à época do ano, os viajantes podem conseguir ótimos negócios para ter aquelas férias dos sonhos.

Em geral, as temporadas são definidas conforme a estação do ano, mas também existem outros fatores que transformam uma época em alta ou baixa.

No Brasil, as férias escolares ocorrem em janeiro e julho, então, os valores de viagens podem subir conforme a demanda. Alguns destinos, como praias, estações de esqui e parques temáticos dos Estados Unidos, podem estar mais cheios e caros.

Os feriados prolongados também são considerados alta temporada, mesmo que seja em pleno inverno e o destino seja de praia. Caso a escolha para os dias de folga seja nas regiões serranas do Brasil, onde até existem registros de neve, os preços cobrados serão mais altos.

A baixa temporada dos principais destinos turísticos do mundo tende a ocorrer entre os meses de fevereiro a junho e setembro a novembro, mas a verdade é que cada lugar tem as suas peculiaridades, que definem os momentos de menor procura.

Como a procura diminui nesses períodos, os serviços de turismo, como companhias aéreas, sites de viagens, hotéis, restaurantes, bares e atividades de lazer, oferecem bons descontos para os visitantes que escolhem viajar fora de época.

A seguir, vamos mostrar como tirar proveito da viagens nesses períodos.

Como aproveitar esse período?

Como em toda viagem econômica, o planejamento e a organização são fatores fundamentais para você curtir as melhores férias da sua vida gastando pouco.

O primeiro passo é definir o destino e pesquisar sobre quando são os períodos de alta e baixa temporada. O ideal é iniciar essa busca com bastante antecedência, assim, o viajante terá uma boa noção dos valores praticados no mercado e das opções disponíveis.

Com toda essa informação, o turista vai saber, na hora certa, quando os descontos apresentados são o melhor negócio. Como as variáveis são muitas, o aventureiro tem que ter disponibilidade para viajar em qualquer época do ano.

Siga as empresas aéreas nas redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter, pois é por esse canal que as promoções são divulgadas. O mesmo vale para sites de reservas.

Voe usando suas milhas

Caso você seja membro de programas de milhas, que são os pontos acumulados quando o passageiro voa um trecho por uma companhia aérea, é possível trocar esse saldo por novos bilhetes.

Nos períodos de baixa temporada, alguns destinos têm muitos voos e pouca procura, o que pode render ótimos descontos para adquirir tíquetes usando as suas milhas.

Mais uma vez, vale lembrar que, para fazer viagens e economizar nas férias, pode ser necessário embarcar em dias e horários considerados alternativos, como durante a semana e na madrugada.

Para acumular as milhas aéreas, o cliente deve se inscrever no programa de fidelidade da companhia e fornecer o número de sócio no momento do embarque ou logo depois da viagem. Cada empresa tem o seu programa, então, os pontos acumulados só podem ser usados para trocar por passagens na mesma companhia.

Hoje em dia, existem empresas que negociam bilhetes aéreos emitidos com milhas, no entanto, o passageiro paga com dinheiro. Essa é uma excelente maneira de conseguir voar a preços mais acessíveis.

Acumule pontos no cartão de crédito

Outra maneira de viajar mais gastando pouco é trocando os pontos acumulados no seu cartão de crédito. As principais empresas do mercado oferecem programas que convertem os gastos em um saldo, que, depois, pode ser usado para comprar passagens aéreas com milhas.

Algumas bandeiras têm taxas de conversão de 3 para 1. Ou seja: a cada real ou dólar gasto, a empresa de crédito dá três pontos para o cliente. Isso proporciona mais chances de trocar os pontos por milhas aéreas, que são usadas nas operações das companhias.

Contudo, esses produtos mais atrativos, em geral, também têm as cobranças de anuidades mais caras. Verifique bem o contrato no momento em que pedir o cartão de crédito e escolha uma opção que caiba na sua realidade financeira.

Quais as principais vantagens?

Quando o turista opta por viajar durante a baixa temporada, encontra dezenas de vantagens, que vamos contar agora.

Uma das primeiras diferenças das viagens fora de época são os preços, como falamos antes. Os custos tendem a cair bastante nesses períodos de pouca procura. Porém, o viajante deve pesquisar e buscar o maior número de informações sobre o destino para conseguir a melhor relação custo-benefício.

Outra vantagem encontrada nesse tipo de férias é que os lugares estão mais vazios, o que proporciona ao visitante mais sossego e relaxamento, já que não existirão as multidões tão comuns nos pontos turísticos mais famosos.

Além de não ter que encarar longas e demoradas filas nas atrações, o viajante vai encontrar as melhores hospedagens a valores bem mais em conta.

As atividades turísticas também tendem a abaixar os preços nas épocas de menor movimento. Não é difícil o visitante fazer passeios sozinho e ter, só para ele, todos os atrativos do local.

Os restaurantes e bares mais badalados dos destinos turísticos ficam mais vazios na baixa temporada. Essa é uma ótima chance de provar o melhor da gastronomia local, gastando menos e com muito mais conforto.

Mesmo fora da época de alta, muitos lugares ainda guardam atividades divertidas para fazer, basta o turista chegar com a cabeça aberta a novas experiências.

A seguir, vamos falar sobre como, quando e onde estão os melhores destinos para aproveitar a baixa temporada!

Quais são os melhores lugares para viajar nessa época?

Cada lugar é único no mundo, então, os fatores que determinam a alta e a baixa temporada dependem de questões climáticas e dos períodos do ano.

Comece a busca pela sua próxima aventura, escolhendo alguns locais que você tem o desejo de conhecer. Busque, na Internet, informações sobre qual é o fluxo de visitantes em cada época.

Com essas informações em mãos, passe a procurar por pacotes ou passagens aéreas estimando o mês da sua viagem para aquele lugar. Tente variar os dias de ida e volta, o que pode gerar grandes diferenças no valor final.

Procure escolher datas durante a semana e longe de feriados e outros dias comemorativos, como o Carnaval. Quanto mais na contramão o viajante estiver, mais vantagens econômicas terá.

Faça o mesmo processo de busca em relação às hospedagens e às atividades de lazer no destino. Uma boa maneira de organizar tudo isso é colocando as informações numa planilha.

Use ferramentas tecnológicas que ajudam a elaborar cronogramas de viagens. No site “Quanto Custa Viajar“, por exemplo, o turista pode fazer uma estimativa realista sobre os custos das suas jornadas em centenas de cidades do mundo.

Ter uma ideia clara sobre os valores que serão gastos é fundamental para não passar aperto depois. Lembre-se de que estourar o seu orçamento significa abrir mão de futuras viagens, já que você pode ficar enrolado financeiramente por um bom tempo.

Um dos maiores vilões dos viajantes que vão para o exterior é o cartão de crédito. Os valores das compras feitas em outros países são cobrados em dólares, cuja cotação varia todos os dias. Ou seja: uma compra pode até dobrar de valor de um mês para o outro.

Faça um orçamento realista e procure ficar atento aos seus limites. Afinal, a melhor coisa a fazer na volta de uma viagem é começar a planejar a próxima, não é mesmo?

Agora, vamos dar algumas sugestões de destinos nacionais e internacionais ótimos para curtir na baixa temporada.

Quais os melhores destinos nacionais para conhecer?

Como o Brasil é um país tropical, as variações climáticas não são tão marcantes como em outros países. Não é difícil ter ótimos dias de sol e calor, mesmo durante o inverno.

Nas regiões da Amazônia e do Pantanal, o viajante deve ficar de olho no período das cheias dos rios, que podem inviabilizar muitos passeios.

No Nordeste do país, o frio é quase inexistente, já que as estações lá se dividem nas épocas de seca e de chuva.

Já no Sul e no Sudeste, ocorrem as temperaturas mais baixas entre os meses de março e setembro, contudo, existem excelentes opções de turismo e lazer.

Praias do Nordeste

O inverno nessa parte do Brasil tem temperaturas amenas e dias agradáveis. É comum chover por algumas horas, seguidas por um belo sol.

A baixa temporada é dividida em duas etapas: a primeira começa depois do carnaval (fevereiro ou março) e vai até o final de junho, quando começam as férias escolares. A segunda parte vai de agosto ao final de novembro.

Nesses períodos, as praias estão mais desertas e os passeios podem ser feitos com sossego inimaginável na alta temporada. O tempo de espera nas atrações pode ser mínimo em alguns dias, principalmente durante a semana.

Os grandes resorts do Nordeste costumam fazer promoções de estadias. Essa é uma grande oportunidade de ficar nos melhores hotéis, pagando muito menos. Poucas coisas na vida são tão marcantes como acordar todos os dias de frente para o mar e ainda aproveitar as infraestruturas magníficas desses resorts.

Regiões serranas

As áreas de montanhas têm as suas baixas temporadas depois do inverno, em meados de setembro a novembro.

Nesse período, é possível curtir lindos dias de sol, mas com aquele friozinho gostoso tão típico dessas regiões, como na Serra Gaúcha, na Serra Catarinense e nas áreas montanhosas da divisa entre os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Esse tipo de viagem é mais indicada para casais que querem um pouco de privacidade em meio à natureza exuberante. É muito agradável tomar um café colonial em Gramado ou beliscar um delicioso queijo canastra feito nas montanhas mineiras.

O pessoal mais alternativo curte o refúgio na mística Visconde de Mauá, que fica no alto da Serra da Mantiqueira e tem um dos céus mais estrelados do Brasil à noite.

Os turistas mais corajosos enfrentam as águas geladas das centenas de cachoeiras dessa região, que também conta com ótimos restaurantes e vida noturna animada.

Em Santa Catarina, suas serras são conhecidas pelo clima frio e pela hospitalidade típica dos colonos europeus, que povoaram e influenciaram muito essa região. Não é difícil esfriar tanto a ponto de congelar a vegetação em algumas cidades, como Urupema (SC).

Pantanal

Território que ainda guarda muito da vida selvagem do país, a região do Pantanal é ideal para ser visitada entre os meses de abril e setembro, quando um dos destinos turísticos mais procurados está na sua baixa temporada.

Nessa época, o período de chuvas já acabou e fica mais fácil observar toda a rica fauna e flora desse santuário ecológico. Algumas atividades turísticas podem estar proibidas nesse período, mas, mesmo assim, existe um leque de atrações que merecem uma visita, como piscinas naturais de águas cristalinas e cavernas pré-históricas.

Fernando de Noronha

Um dos destinos turísticos mais buscados do Brasil, o arquipélago de Fernando de Noronha é um paraíso natural que fica no meio do Oceano Atlântico.

Existem regras muito duras sobre o controle de visitantes em Noronha, tudo com a intenção de preservar as características desse santuário ambiental, que guarda milhares de espécies de plantas e animais.

Essas restrições de visitação fazem os preços de voos e hospedagens serem bem salgados, além de o turista ser obrigado a pagar taxas de preservação, que variam conforme a quantidade de dias da sua estadia.

Contudo, no período que vai de abril a junho, o arquipélago está na sua época de chuvas. Mesmo assim, uma visita nesses meses ainda vale muito a pena.

Como o fluxo de turistas cai nesses meses, os hotéis de Fernando de Noronha oferecem ótimos descontos nas estadias, que podem passar dos 30%. Esse, sem dúvidas, é um dos melhores destinos brasileiros na baixa temporada.

Jalapão

Essa região no coração do Brasil tem atraído cada vez mais turistas, que querem conhecer um dos ecossistemas mais ferozes do país.

O terreno irregular do Jalapão, que fica no Estado do Tocantins, reúne formações rochosas salpicadas por uma vegetação rasteira e que culminam em cânions alaranjados e cachoeiras de tirar o fôlego.

De maio a setembro, os visitantes podem aproveitar o período de seca para explorar o meio ambiente único do Parque Estadual do Jalapão.

Conheça os artesanatos feitos pelos moradores da região com o capim dourado, uma espécie comum no Jalapão e que dá um brilho especial aos apetrechos, que podem ser bolsas, carteiras, chapéus e muito mais.

Metrópoles brasileiras

As grandes cidades do Brasil têm as maiores populações, que costumam viajar nas férias e aproveitam todos os feriados para escapar. Essa é uma oportunidade de ouro de aproveitar São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Esses centros reúnem amplas redes de atrações culturais, como museus, teatros, cinemas, casas de shows, além de ótimos restaurantes, bares, baladas e lojas.

Podemos considerar que essas cidades estão na baixa temporada em julho, já que as férias escolares fazem as famílias rumarem para o litoral e o interior dos estados.

Como as estruturas de hospedagem são numerosas nessas grandes cidades, o viajante encontra um mercado bastante competitivo, em que os hotéis, hostels e pousadas oferecem bons descontos para atrair os clientes.

Com as metrópoles mais vazias, as atrações tendem a ficar mais tranquilas para visitar. O trânsito pesado dá lugar às ruas mais livres, o que facilita os deslocamentos, inclusive utilizando o transporte público.

Em quais destinos internacionais devo apostar?

Os preços das passagens internacionais seguem o mesmo padrão de oscilação de voos nacionais. A frequência e a pouca procura pelos trechos fazem os tíquetes ficarem bem mais em conta em alguns momentos do ano.

Mais uma vez, os fatores climáticos têm grande influência na definição das temporadas turísticas. Abaixo, vamos contar sobre os melhores destinos fora do Brasil e qual a melhor época para fazer uma visita mais econômica.

América do Sul

Nossos vizinhos têm atrativos turísticos dos mais variados, tanto naturais como culturais, além de não ser necessário ter visto de entrada nos países da América do Sul.

No extremo sul do continente americano, na Patagônia, é possível visitar vulcões em atividade, geleiras eternas, lagos de águas cristalinas e fauna e flora exuberantes. A baixa temporada nessa região é no período do outono (março a junho).

As temperaturas ainda não estão tão baixas e o visitante pode apreciar a natureza se transformando na troca das estações. No inverno, as condições climáticas pioram ao ponto de grande parte dos hotéis e atrações acabar por fechar.

As regiões de Bariloche, na Argentina, e Valle Nevado, no Chile, são famosas pelas suas estações de esqui, que, no inverno (de junho a setembro), ficam cheias de praticantes de esportes na neve. Já entre os meses de fevereiro e maio e setembro e novembro, essas atrações recebem um número menor de visitantes.

Apesar de não haver neve, esses locais ficam em meio à Cordilheira dos Andes, onde a natureza é bela e os turistas podem curtir as trilhas e lagos em paisagens de cinema.

Europa

O Velho Continente é o sonho de consumo de muitos amantes das viagens. Contudo, com a cotação do Euro nas nuvens, os viajantes devem ficar ligados nas melhores épocas para embarcar para a Europa.

A baixa temporada das principais cidades europeias ocorre em dois períodos: entre janeiro e maio e setembro e novembro. A exceção é nas estações de esqui dos Alpes, que têm, no inverno (junho a setembro), a sua alta temporada.

Alguns destinos, como Paris, Barcelona, Berlim e Lisboa, ficam mais baratos nos períodos mais frios do ano. O único inconveniente para algumas pessoas pode ser a baixa temperatura, mas nada que um bom agasalho não resolva. Outra saída é apostar em atividades em locais fechados, como museus, castelos e centros culturais.

Os meses de abril e maio podem ser muito agradáveis em solo europeu, já que o sol começa a aparecer com mais frequência enquanto a primavera vai surgindo. As atrações estão mais vazias, sendo possível até tirar ótimas fotos dos pontos turísticos sem um milhão de pessoas na frente, como ocorre na alta temporada.

Quem quer economizar ainda mais deve apostar numa viagem para o leste europeu. Alguns países, como Hungria, República Tcheca e Polônia, têm moedas próprias, com cotações mais vantajosas frente ao Real.

A infraestrutura de turismo nessa região também tem preços mais em conta quando comparamos com a Europa ocidental (França, Inglaterra, Espanha etc.). Além das vantagens econômicas, esses países mais ao leste do continente guardam patrimônios históricos e naturais belíssimos.

Pronto para embarcar fora de época?

Viu só como viajar contra o fluxo pode ser uma ótima ideia? Os destinos turísticos mais desejados do mundo ficam ao seu alcance quando você resolve embarcar durante a baixa temporada. Basta fazer um bom planejamento financeiro e organizar cada passo da sua aventura para ter as melhores férias de toda a sua vida.

Quer saber das novidades do mundo do turismo antes de todos? Assine a nossa newsletter e receba informações de qualidade para ajudar nas suas próximas viagens.

Comentários

Deixe um Comentário